Itália descobre proteína que alerta sobre inflamação no corpo

Pesquisadores dizem que descoberta pode acelerar cura da Covid

Pesquisa identificou proteína que identifica o risco de um paciente ter uma inflamação grave
Pesquisa identificou proteína que identifica o risco de um paciente ter uma inflamação grave (foto: ANSA)
10:17, 21 MaiBOLONHA ZGT

(ANSA) - Pesquisadores italianos anunciaram a descoberta de uma proteína que pode ser útil na cura do novo coronavírus (Sars-CoV-2) porque consegue alertar sobre o risco de morte causada por uma grave inflamação no corpo humano.

Em entrevista ao jornal "Gazzetta di Modena", a professora e pesquisadora Erica Villa, que atua no setor de Gastroenterologia do Policlínico de Modena e no departamento de Atividades Integradas das Medicinas Especializadas, disse que, por enquanto, os estudiosos a batizaram de "Proteína X".

"Prefiro não revelar o nome por motivos de segurança. Como conhecido, o vírus nos casos mais graves desenvolve uma inflamação violenta, a chamada 'tempestade de ocitocinas'. Nós estamos buscando antecipar essa inflamação através da individualização de um marcador que está mais ligado ao dano nas células. E esse primeiro 'golpe' é sentido no pulmão", explicou Villa.

De acordo com a especialista, "se os estudos forem confirmados, poderemos individualizar em tempos muito rápidos quais os pacientes que irão de encontro com a 'tempestade de ocitocinas' e quais, ao invés disso, superarão a doença com menor impacto".

Além disso, a descoberta precoce da "Proteína X" também permitirá que os médicos "tenham mais uma arma", podendo fazer com que receitam de maneira mais precoce os anticoagulantes já usados no combate à Covid-19.

O estudo em Modena foi liderado por Villa, em colaboração com o médico Tommaso Trenti, no âmbito de outra pesquisa mais ampla sobre a doença. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA