Novichok entrou no Reino Unido em frasco de perfume

09:15, 05 SetLONDRES ZLR
(ANSA) - A Polícia Metropolitana do Reino Unido disse nesta quarta-feira (5) que tem "evidências suficientes" para acusar formalmente dois cidadãos russos pelo envenenamento do ex-espião Serghei Skripal e de sua filha, Yulia, em março passado.
    Os suspeitos são Alexander Petrov e Ruslan Boshirov, que desembarcaram no Aeroporto de Gatwick, nos arredores de Londres, no último dia 2 de março, após um voo proveniente de Moscou. De acordo com a primeira-ministra britânica, Theresa May, eles são "agentes" do Departamento Central de Inteligência (GRU) da Rússia. "Apenas a Rússia tinha meios técnicos e motivações para realizar o ataque", disse, durante sessão da Câmara dos Comuns.
    Ambos teriam cerca de 40 anos, e seus nomes seriam pseudônimos.
    Dois dias depois da chegada ao Reino Unido, eles viajaram a Salisbury, local do ataque contra Skripal e Yulia, realizado com uma substância do tipo novichok, agente neurotóxico desenvolvido pela União Soviética.
    "Há evidências para proporcionar uma perspectiva realista de condenação", disse Sue Hemming, diretora de serviços legais do Ministério Público da Coroa. Petrov e Boshirov já retornaram para Moscou.
    As acusações contra eles incluem conspiração para homicídio, tentativa de homicídio, posse e uso de substância química e danos corporais graves. Skripal trabalhava como agente duplo para os serviços de inteligência de Rússia e Reino Unido e, após ser descoberto, ganhou cidadania britânica.
    Ele e sua filha foram encontrados desacordados no banco de um shopping em Salisbury, a 140 quilômetros de Londres, no último dia 4 de março. Um policial que atendera à ocorrência também foi contaminado, mas todos conseguiram sobreviver.
    No fim de junho, no entanto, um casal sem relação com Skripal, Charlie Rowley e Dawn Sturgess, acabou atingido pela mesma substância, em Amesbury, a 13 quilômetros de Salisbury.
    A hipótese é de que os dois tenham sido contaminados por resíduos do agente neurotóxico usado para atacar o ex-espião e sua filha. Sturgess faleceu poucos dias depois, enquanto Rowley chegou a receber alta, mas voltou ao hospital por causa de uma meningite.
    O caso Skripal elevou a tensão diplomática entre Moscou e Londres e provocou a expulsão de dezenas de diplomatas russos de quase 30 países. O Kremlin nega envolvimento no ataque químico.
    O representante permanente da Rússia na Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), Aleksandr Shulghin, disse que as acusações do Reino Unido são uma "provocação". "Dissemos desde o início que a Rússia não tem a ver com o ocorrido em Salisbury", disse.
    Dinâmica - Segundo o responsável pelo setor de antiterrorismo da Scotland Yard, Neil Basu, o novichok entrou no Reino Unido dentro de um frasco de perfume da marca Nina Ricci.
    Câmeras de segurança flagraram Petrov e Boshirov no aeroporto, em um hotel de Londres, em dois trens para Salisbury e perto da casa de Skripal, onde ocorreu a contaminação.
    Eles teriam colocado a substância na maçaneta da porta de entrada da residência do ex-espião e abandonado o frasco de perfume, encontrado e manuseado meses mais tarde por Rowley e Sturgess. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en
Advertisement