Prefeitos de grandes capitais assumem posse no 1º dia do ano

João Doria, em São Paulo, e Marcelo Crivella, no Rio, assumiram

Prefeitos de grandes capitais assumem posse no 1º dia do ano
Prefeitos de grandes capitais assumem posse no 1º dia do ano (foto: ANSA)
08:21, 02 JanSÃO PAULO ZAR

(ANSA) - O novo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), empossado neste domingo (1º), disse que a prioridade de seu governo serão os pobres.

"A prioridade serão os mais humildes e mais pobres dessa cidade. Não se esqueçam. A partir de hoje, essa é a nossa prioridade", disse. Ele afirmou ainda que não irá se candidatar à reeleição."Não sou favorável. Não disputarei", falou.

Após tomar posse na Câmara, Dória participou de uma cerimônia de transmissão de cargo no Theatro Municipal, junto com o vice-prefeito Bruno Covas (PSDB), o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB).

Ao chegar ao local, o novo prefeito foi bastante aplaudido pelo público presente.Segundo Dória, sua gestão será humilde, corajosa e austera e o seu governo será aberto, conciliador e transparente. ""Será um governo capaz de ouvir a opinião de todas as pessoas.

Governaremos para todos, os que nos elegeram e os que não nos elegeram. Será uma gestão conciliadora", disse.Em seu primeiro discurso, Doria elogiou Haddad, dizendo ter orgulho "de termos feito aqui a mais solidária, transparente e mais democrática transição dessa cidade das últimas três décadas. Como governantes, vamos governar para a cidade de São Paulo, não para um partido ou ideologia", ressaltou.

Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, vai pedir ajuda dos planos de saúde para atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Seria feito um encontro de contas, baseado em dívidas que os planos têm com o município, que seriam pagas na forma de atendimentos médicos. 

Crivella recebeu A transferência de cargo aconteceu neste domingo (1º), no Palácio da Cidade, quando ele recebeu a cidade do ex-prefeito Eduardo Paes.

"Eu estou conversando com os planos de saúde, que têm dívidas exuberantes com o fisco municipal, para que eles possam ressarcir os cofres com consultas de especialistas, com exames e cirurgias de baixa complexidade. Seria uma maneira de nós adiantarmos os tratamentos. Eu tenho conversado com eles e espero, junto com o Ministério Público, a Secretaria de Fazenda e a de Saúde, um acordo", afirmou Crivella.

O prefeito disse que suas prioridades serão atender às demandas de educação e saúde. "Neste primeiro ano de governo nós temos que atender as carências básicas do povo. Prioridade total é saúde e educação. O restante vamos controlar os recursos para mantermos a nossa cidade bem cuidada. Nós não vamos ter o volume de obras que tivemos no passado".

Porém, Crivella admitiu que ele terá poucos recursos livres em caixa, pois boa parte do dinheiro está comprometida em pagar a folha do funcionalismo.

"Hoje nós não podemos dizer que temos dinheiro em caixa. Temos uma folha de pagamento de R$ 16 bilhões. Outra coisa que temos de pensar é no impacto dos planos de cargos e salários negociados no ano passado e que virão agora. Agora a ordem é não gastar, até que tenhamos um levantamento bem judicioso dos compromissos que temos a frente e dos recursos aprovisionados", declarou.

Belo Horizonte

Alexandre Kalil (PHS) tomou posse na tarde de hoje (1°) como novo prefeito de Belo Horizonte, juntamente com seu vice Paulo Lamac (Rede). Também foram empossados os 41 vereadores que irão compor a Câmara Municipal pelos próximos quatro anos.

A cerimônia teve início às 14h no Teatro Francisco Nunes, no centro da capital mineira.Em seu discurso, o novo prefeito declarou estar firme e obstinado para cumprir as promessas que apresentou durante a campanha. Ele disse que pretende governar com todos os vereadores, mas fez uma cobrança direta aos novos integrantes do legislativo.

"Governar para quem precisa é governar abrindo mão de cargos, empregos e gastos desnecessários. (...) Todo o dinheiro dessa prefeitura não será canalizado para troca de favores. Então eu peço aos vereadores muito juízo. Todos nós precisamos de muito juízo. Nós vamos reformular a política dessa cidade", disse.

No mês passado, Kalil anunciou seu secretariado. Sua gestão terá uma redução de 22 para 13 secretarias. Entre os nomes de primeiro escalão, estão pessoas com quem ele trabalhou no Atlético-MG, clube que presidiu entre 2008 e 2014.

Salvador

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), oficializou o início do segundo mandato consecutivo, como chefe do executivo municipal, na tarde deste domingo (1º). Na Câmara de Vereadores do município, Neto citou o contingenciamento de gastos e disse que continuará priorizando os mais pobres em sua gestão.

"Nós enxergamos que há uma cidade dos ricos e outra dos pobres e é por isso que nós fizemos muito mais pela dos pobres: 76% dos investimentos [da primeira gestão] foram nas áreas mais pobres da cidade. Esse é um compromisso que continua no segundo mandato", garantiu o prefeito, durante o discurso que levou cerca de 40 minutos.

Reeleito com quase 74% dos votos válidos, ACM Neto terá um novo vice-prefeito. No lugar da ex vice-prefeita, Célia Sacramento, entra Bruno Reis (PMDB), que atuava como secretário municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza de Salvador.

Fortaleza

Tomou posse na noite de hoje (1º) o prefeito reeleito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). A solenidade de posse foi realizada na Câmara Municipal e foi acompanhada pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), que apoiou o então o candidato no segundo turno, e pelo ex-governador do estado e ex-ministro da Educação Cid Gomes.

Em seu discurso, Cláudio ressaltou as ações do primeiro mandato e destacou compromissos com saúde e educação na nova gestão, como havia prometido durante a campanha à reeleição.

"Iremos universalizar o acesso à pré-escola, queremos acabar com a vergonha das filas para as vagas de creches e duplicar, no mínimo, as ofertas atuais de matrículas de educação em tempo integral. Iremos priorizar no primeiro ano a regularização do estoque de medicamentos nos postos de saúde e ampliaremos a rede de policlínicas para exames e consultas", afirmou o prefeito.

O médico Roberto Cláudio foi reeleito no segundo turno com 53% dos votos, derrotando o policial militar reformado Capitão Wagner (PR). Seu vice-prefeito é o deputado federal licenciado Moroni Torgan (DEM). Fonte: Agência Brasil. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA