Aloysio Nunes assume Itamaraty com críticas à Venezuela

Nunes tomou posse como chanceler na noite desta terça-feira (7)

Aloysio Nunes assume Itamaraty com críticas à Venezuela
Aloysio Nunes assume Itamaraty com críticas à Venezuela (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
18:13, 08 MarBRASILIA ZAR

(ANSA) - O novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes Ferreira, assumiu o cargo em cerimônia no Palácio do Itamaraty na noite desta terça-feira (7) e fez duras críticas ao governo da Venezuela.
   

"Não posso deixar de lembrar a preocupação, cada vez mais presente, com a escalada autoritária do governo venezuelano, que nos últimos anos esteve presente entre os grandes temas em debate", disse Nunes.
   

"Queremos uma Venezuela próspera e democrática, sem presos políticos e com respeito à independência dos poderes", acrescentou.
   

Nunes também manifestou "sua solidariedade irrestrita com aqueles que lutam pela liberdade nesse país irmão". O novo chanceler afirmou ainda que o governo brasileiro está preocupado com a crise humanitária no país vizinho.
   

Na noite em que tomou posse, ele aproveitou para criticar a chanceler venezuelana, Delcy Rodriguez, após ela dizer que o Brasil é uma "vergonha mundial" ao se referir sobre o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.
   

"Ela [Dercy] não tem muita importância. Nesse país dela o mais importante são os carcereiros e não um ministro das Relações Exteriores", ressaltou.
   

Em sua conta no Twitter, Rodriguez rebateu as declarações. "O novo chanceler do Brasil começou seu mandato com o pé esquerdo, atacando a Venezuela. Enviarei a ele o ABC da Diplomacia. Ele deveria se espelhar em seu antecessor: que deixou o cargo por acusações de corrupção. Não é a diplomacia de que os povos precisam".
   

Nunes foi escolhido pelo presidente Michel Temer para substituir o peemedebista José Serra, que pediu para deixar o cargo no dia 22 de fevereiro após alegar problemas médicos. Ele possivelmente dará continuidade as diretrizes diplomáticas de seu antecessor e "amigo", porém com um enfoque mais pragmático e menos "ideológico" do Mercosul.
   

Na cerimônia, depois de falar da importância do Mercosul, o ministro anunciou sua primeira viagem oficial para Buenos Aires, onde se reunirá com a ministra argentina Susana Malcorra, que também convidou os chanceleres do Paraguai, Eladio Loizaga, e Uruguai, Rodolfo Nin Novoa.
   

Já nesta quarta-feira (8), o novo chanceler se reuniu com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, para discutir uma cooperação entre as duas pastas com o objetivo de combater o tráfico de drogas e armas, além de "reforças o entendimento com os países vizinhos no combate". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA