Doria critica prefeito de Nova York por ataques a Bolsonaro

Governador disse que De Blasi "exagerou" nas afirmações

18:45, 15 MaiSÃO PAULO ZBF

(ANSA) - O governador de São Paulo, João Doria, criticou os ataques do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, contra o presidente Jair Bolsonaro.
    O político do PSDB está em viagem oficial a Nova York e compareceu ao "Person of The Year", entregue anualmente pela Câmara de Comércio Brasil-EUA. A cerimônia, que ocorreu na noite de ontem (14), homenageou Bolsonaro neste ano, mas, devido às críticas e protestos, o presidente não pode comparecer para receber o prêmio. "Primeiramente, quero mandar uma mensagem para o prefeito de Nova York, Bill de Blasio. Da próxima vez, seja gentil com o presidente do Brasil. Seja gentil com os brasileiros que visitam a sua cidade. Seja quem for. Seja como todos nova-iorquinos que recebem milhões de visitantes todos os anos de todas as raças, crenças e pensamentos. Exatamente como é a tradição da América.
    Um país que eu aprendi a admirar pelo seu respeito à liberdade por sua pluralidade e respeito aos direitos humanos. Apesar de você, Bill de Blasio, nós amamos Nova York. Nós amamos a América", disse Doria, em discurso oficial. Tradicionalmente, o evento é realizado no Museu de História Natural de Nova York, embaixo da ossada de uma baleia. Neste ano, depois de o museu - e mais uma casa de eventos - se recusar a sediar uma homenagem a Bolsonaro, o jantar de gala foi realizado em uma das salas do hotel Marriot, na Times Square.
    Mais cedo, em um outro compromisso, um encontro com empresários e investidores, Doria tinha dito que o prefeito foi além de sua condição e "exagerou na condução política" ao fazer avaliações tendenciosas de um presidente de outro país. Para o tucano, De Blasio "não fez jus a um regime de liberdade" do qual Nova York é o maior símbolo. "Entendo que o prefeito de Nova York exacerbou na sua condição de prefeito ao condenar e fazer manifestações nas redes sociais e na imprensa", disse Doria.
    "Não cabe a um prefeito de Nova York fazer avaliações sobre esta ou aquela tendência de um presidente da República. Ele [Bill de Blasio] cometeu um erro, exagerou na sua condução política e não fez jus a um regime de liberdade onde Nova York é seu maior símbolo, a partir da própria Estátua da Liberdade que está na entrada da baía da cidade", alegou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en