Posse de novo ministro da Educação é adiada, diz jornal

Decisão foi tomada após incoerências no currículo

Professor Carlos Decotelli substituirá Abraham Weintraub no Ministério da Educação
Professor Carlos Decotelli substituirá Abraham Weintraub no Ministério da Educação (foto: Arquivo/Marcelo Casal Jr/Agência Brasil)
16:37, 29 JunSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - A posse do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, inicialmente marcada para esta terça-feira (30), foi adiada pelo governo de Jair Bolsonaro após possíveis fraudes em seu currículo.

A informação foi revelada pelo jornalista Lauro Jardim, do Jornal "O Globo", nesta segunda-feira (29), citando fontes do Planalto. Segundo os relatos, o governo fará primeiro uma "checagem completa" do documento, que está disponível na plataforma Lattes.

A decisão foi tomada depois das denúncias sobre o doutorado e mestrado de Decotelli. Na semana passada, o reitor da Universidade Nacional de Rosário, Franco Bartolacci, desmentiu que o novo ministro tenha recebido o grau de doutor em administração financeira na instituição argentina.

Depois da declaração feita no Twitter, Decotelli modificou seu currículo. Originalmente constava a informação de doutorado concluído em 2009, com a tese "Gestão de Riscos na Modelagem dos Preços da Soja", sob orientação de Antonio de Araujo Freitas Jr.

Além disso, hoje (29), a Universidade de Wüppertal, no oeste da Alemanha, também afirmou, em nota, que o ministro não obteve um certificado de pós-doutorado pela instituição alemã. Logo depois, Decotelli alterou novamente o currículo na plataforma.

De acordo com a Secretaria de Comunicação da Presidência, a data da posse ainda não havia sido confirmada para a imprensa e, portanto, "até agora, não há previsão para essa cerimônia". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en