Pressionado, Zuckerberg nega que deixará comando do Facebook

Rede social tem sido criticada por escândalos

Pressionado, Zuckerberg nega que deixará comando do Facebook
Pressionado, Zuckerberg nega que deixará comando do Facebook (foto: ANSA)
10:43, 21 NovROMA ZBF

(ANSA) - Criticado e pressionado a renunciar, o fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, negou nesta segunda-feira (21) a possibilidade de se afastar do comando da empresa. Em entrevista à CNN Business, o executivo disse que "esse não é o plano", referindo-se à possível renúncia. "Eu não vou fazer isso [ficar no cargo] para sempre, mas atualmente eu não penso que isso faça sentido".

Recentemente, o Facebook foi acusado de não impedir uma suposta interferência russa nas eleições norte-americanas de 2016, vencidas pelo republicano Donald Trump.

Na semana passada, o jornal "The New York Times" publicou uma reportagem alegando que o Facebook sabia da interferência russa, mas ignorou isso deliberadamente.

A rede social também apareceu envolvida no escândalo da Cambridge Analytica, sobre o vazamento de dados privados de usuários.

Os cenários geraram uma crise de desconfiança em relação ao Facebook, e analistas indicam a postura e as omissões de Zuckerberg como agravantes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA