Asia Argento se defende das acusações de abuso sexual

Italiana é acusada de ter abusado do ator Jimmy Bennett

14:00, 01 OutROMA ZBF
(ANSA) - A atriz italiana Asia Argento se defendeu neste domingo (30) das acusações de ter abusado sexualmente do ator norte-americano Jimmy Bennett, em uma entrevista ao programa "Non è l'arena", no canal "La7".
    Pela primeira vez, ela admitiu que fez sexo com o ator, mas alegou que ele dissera ter 18 anos e que fora o rapaz quem tomou a iniciativa. De acordo com Asia, Bennett teria pedido para se encontrar com ela em um hotel para que a atriz a ajudasse com uma audição. "Ele ficou animado e começou a me abraçar nesse momento. Ele começou a me beijar e me tocar, mas não como uma mãe e filho, como eu o via, mas sim, como um menino com os hormônios descontrolados", relevou.
    "Ele literalmente pulou em cima de mim. Fez o que tinha que fazer, sem usar camisinha. Durou dois minutos e ele teve um orgasmo. Eu estava fria, fiquei paralisada", acrescentou. "Ele me disse que era uma fantasminha que tinha desde os 12 anos.
    Para ele, eu era um troféu de caça", argumentou.
    Asia se tornou uma importante voz do movimento contra assédio sexual no cinema, ao revelar que fora estuprada pelo produtor Harvey Weinstein quando tinha 21 anos, no Festival de Cannes de 1997. Agora, porém, ela é acusada de abuso sexual por Bennett de pagar US$ 380 milhões ao ator para evitar que o jovem entrasse com uma ação judicial contra ela. Devido ao escândalo, a italiana foi afastada do programa de talentos "X Factor", do qual era jurada, além da "CNN" ter eliminado a atriz dos episódios de "Parts unknown", programa televisivo do seu ex-companheiro Anthony Bourdain, que cometeu suicídio em junho deste ano.
    "Ver a entrevista de Jimmy Bennett me irritou um pouco, mas senti muita pena. Porque seus olhos estavam vidrados e não havia expressão em seu rosto. Eu o vi como uma criança que depois não conseguiu seguir sua carreira, uma alma perdida", disse a atriz, mencionando a entrevista que o norte-americano deu ao programa na semana anterior.
    A atriz italiana também comentou sobre o suicídio de seu ex-companheiro Anthony Bourdain. O chef e apresentador norte-americano morreu aos 61 anos de idade, no dia 8 de junho, cometendo suicídio no hotel onde estava hospedado na França.
    "O suicídio de Anthony Bourdain foi um momento inimaginável. Eu ainda estou lá no momento que o gerente me disse em um telefonema curto que ele tinha tirado sua vida. Após isso um abismo se abriu, eu me senti desesperada, uma sensação de culpa por não ter visto a sua dor, ele nunca tinha mostrado isso para mim", relatou.
    A atriz italiana ainda afirmou que Bourdain a "protegeu" e que ele "deu os melhores dois anos" da sua vida. Asia também negou a hipótese do suicídio de Bourdain ter sido motivado pelo escândalo de abuso sexual que a italiana está envolvida. "Eu não posso acreditar que alguém como ele, tão sábio, profundo e inteligente, tenha tirado sua vida por causa de um relacionamento com outra pessoa", concluiu. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en