Mostra sobre Rafael na Itália será reaberta em 2 de junho

Evento é a maior exposição já feita sobre o artista italiano

Evento precisou ser suspenso em decorrência da pandemia do novo coronavírus
Evento precisou ser suspenso em decorrência da pandemia do novo coronavírus (foto: ANSA)
15:37, 18 MaiROMA ZRS

(ANSA) - A maior exposição já feita sobre o mestre renascentista Rafael Sanzio (1483-1520) será reaberta a partir do dia 2 de junho. Os trabalhos do artista italiano estão expostos nas Scuderie del Quirinale, palácio anexo à sede da Presidência da República da Itália, em Roma.

A mostra, que pela primeira vez reuniu mais de 100 trabalhos de Rafael, foi inaugurada no dia 5 de março e ficaria em cartaz até 2 de junho. No entanto, o evento precisou ser suspenso em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Com a reabertura prevista para 2 de junho, a exposição permanecerá aberta até 30 de agosto, graças à disponibilidade e solidariedade das instituições do museu e de colecionadores que emprestaram algumas obras para o evento. As Gallerie deglie Uffizi, em Florença, por exemplo, emprestou cerca de 50 telas.

O evento acontece por ocasião dos 500 anos da morte de Rafael, como é conhecido no Brasil. Natural de Urbino, na região das Marcas, o artista morreu no dia 6 de abril de 1520, em Roma.

A reabertura seguirá medidas extraordinárias de seguranças, descritas em um projeto técnico-sanitário desenvolvido por um especialista em doenças infecciosas da Universidade de Sapienza. As medidas também seguem as diretrizes do Comitê Técnico-Científico (CTS).

"Vamos começar de novo. Reabriremos as portas das Scuderie del Quirinale, prontos para receber os visitantes nas mais rigorosas condições de segurança, oferecendo a oportunidade de desfrutar de tanta beleza e encontrar forças para recomeçar nela. Somos gratos às Gallerie degli Uffizi, ao diretor Eike Schmidt e a todos os credores que concederam generosamente a oportunidade de estender as datas de uma exposição tão importante para o nosso país", disse Mario De Simoni, presidente e CEO das Scuderie del Quirinale.

Já Eike Schmidt, diretor das Gallerie degli Uffizi, afirmou que a exposição de Rafael "é inestimável". "A exposição 'Raffaello' é inestimável do ponto de vista artístico e oferece a oportunidade de admirar uma concentração de obras do mestre de Urbino em um contexto que nunca foi possível. Todo esforço para garantir o maior número possível de pessoas para apreciar essa maravilha, é certo: as Gallerie degli Uffizi estão felizes em estender seu empréstimo de 50 obras-primas a esta exposição única e histórica pelo tempo que for necessário", declarou Schimidt.

A mostra percorre a carreira do gênio italiano em ordem cronológica, mas do fim para o começo; de Roma, onde ele morreu, até sua cidade natal, Urbino.

Além das telas, a exposição reúne documentos históticos, como uma carta nunca enviada em que Rafael explica ao papa Leão X, como recuperar o patrimônio da Roma Antiga.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA