Banco mais antigo do mundo volta a registrar lucro

Monte dei Paschi di Siena quase quebrou em 2017

Sede do Monte dei Paschi, em Siena, na Toscana
Sede do Monte dei Paschi, em Siena, na Toscana (foto: ANSA)
17:28, 11 MaiMILÃO ZLR

(ANSA) - Após ter vivido a maior crise de sua história, o Monte dei Paschi di Siena (MPS), tido como o banco mais antigo do mundo ainda em operação, registrou lucro pela primeira vez desde 2016.

Segundo o balanço divulgado nesta sexta-feira (11), a instituição financeira fechou o primeiro trimestre de 2018 com resultado positivo de 188 milhões de euros, contra o prejuízo de 169 milhões de euros dos três meses iniciais de 2017.

O lucro se deve sobretudo ao crescimento de 20% na concessão de empréstimos e à emissão de títulos tendo como lastro sua enorme carteira de créditos deteriorados (24 bilhões de euros). "A minha humilde opinião é a de que viramos a página em relação a 2017", declarou o CEO do MPS, Marco Morelli. "Agora operamos como uma empresa normal", disse.

Com o resultado, as ações do banco fecharam o pregão desta sexta-feira com alta de 17,6%, em 3,2 euros. Fundado em 1472, em Siena, o MPS ficou à beira da falência em 2017, devido à elevada presença de créditos deteriorados - empréstimos que dificilmente serão pagos - em sua carteira.

Outros bancos italianos viveram situação semelhante, mas o MPS era o mais exposto de todos, com um terço de seu portfólio tomado por ativos tóxicos. Para salvar a instituição, o Estado injetou 5,4 bilhões de euros e ficou com quase 70% das ações. No entanto, por determinação da União Europeia, terá de se desfazer da participação até 2021.

O plano de resgate também prevê milhares de demissões e a venda dos créditos deteriorados no mercado, para fundos especializados nesse tipo de investimento. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA