Justiça de Tóquio nega liberdade para Ghosn

Ex-presidente da Nissan está detido desde 19 de novembro

Carlos Ghosn é acusado de fraude fiscal
Carlos Ghosn é acusado de fraude fiscal (foto: EPA)
21:02, 09 JanSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - O Tribunal Distrital de Tóquio, no Japão, rejeitou o pedido da defesa para conceder liberdade ao executivo franco-brasileiro Carlos Ghosn, de 64 anos, ex-presidente da Nissan Motors. Os advogados pretendem apresentar um recurso na tentativa de reverter a decisão.

O empresário está detido desde novembro do ano passado sob acusação de fraude fiscal. Promotores de Tóquio o denunciaram por suspeita de subnotificação de ganhos de ter usado ativos da Nissan em benefício próprio.

Na última terça (8), Ghosn apareceu, pela primeira vez desde sua prisão, no tribunal para apresentar suas explicações. Ele negou desvios e irregularidades. Segundo a Justiça, o executivo deve ser mantido preso por causa do risco de fuga e destriuição de provas. (ANSA) Fonte: Agência Brasil Fonte: Agência Brasil

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA