Governo prorroga venda da Alitalia mais uma vez

Novo prazo para apresentação de oferta foi fixado em 15 de junho

Aviões da Alitalia no aeroporto de Fiumicino, em Roma
Aviões da Alitalia no aeroporto de Fiumicino, em Roma (foto: ANSA)
17:25, 03 MaiROMA ZLR

(ANSA) - O governo da Itália adiou novamente o prazo para a venda da Alitalia, principal companhia aérea do país, desta vez para o dia 15 de junho, última data para a estatal Ferrovie dello Stato (FS) apresentar uma oferta vinculante pela empresa.

A FS já se disponibilizou a comprar a Alitalia, mas negocia a formação de uma joint venture com grupos privados, como a americana Delta - a britânica EasyJet desistiu das tratativas.

"Depois de receber dos comissários extraordinários da Alitalia o pedido para prorrogar o prazo de apresentação de uma oferta vinculante da FS, o ministro Luigi Di Maio autorizou a prorrogação do prazo para 15 de junho", diz uma nota do Ministério do Desenvolvimento Econômico e do Trabalho.

O comunicado, no entanto, pede que a "composição do consórcio adquirente" seja concluída "o quanto antes". O prazo anterior terminou em 30 de abril. A candidata mais forte a entrar na joint venture com a FS no momento é a Atlantia, holding da família Benetton e que atua no setor rodoviário.

O grupo, no entanto, enfrenta resistência no governo por ser a concessionária da Ponte Morandi, em Gênova, cujo desabamento matou 43 pessoas em agosto de 2018. Apesar de os números já terem mudado diversas vezes, as negociações se baseiam em uma divisão que dará até 55% das ações para a FS, 15% para a Delta, 15% para a Atlantia e 15% para o Tesouro italiano.

Dessa forma, a Alitalia voltaria a ser uma companhia de bandeira (controlada pelo Estado), já que a FS tem como acionista único o Ministério de Economia e Finanças. A empresa está sob intervenção do governo há dois anos e é dividida entre a holding Compagnia Aerea Italiana (51%) e o grupo árabe Etihad Airways (49%). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA