TIM fecha trimestre com lucro e receita em alta

Empresa manteve aposta no segmento pós-pago

TIM lucrou R$ 251 milhões no primeiro trimestre do ano
TIM lucrou R$ 251 milhões no primeiro trimestre do ano (foto: ANSA)
11:12, 08 MaiSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - A TIM Brasil registrou crescimento de 2,5% no lucro líquido normalizado no primeiro trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (7), a operadora lucrou R$ 251 milhões entre janeiro e março, o que também representa uma queda de 57,2% em relação ao último trimestre de 2018.

Já a receita líquida chegou a R$ 4,191 bilhões, alta de 1,7% na comparação anual e queda de 6% na base trimestral. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no primeiro trimestre de 2019, que totalizou R$ 1,497 bilhão, teve crescimento de 5,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

O balanço também comprova a estratégia da TIM de apostar no segmento pós-pago, cuja base de clientes aumentou 11,4%, para 20,579 milhões, enquanto a do nicho pré-pago caiu 12,5%, para 34,504 milhões. Na base de clientes TIM Live (ultra banda larga fixa), a operadora teve expansão de 18,3%, batendo a marca de 486 mil conexões.

"O foco no segmento de alto valor continua rendendo indicadores positivos, reforçando nossa presença em mercados relevantes, como a ultra banda larga fixa. A TIM encerra seu primeiro trimestre com resultados sólidos em algumas frentes do negócio, mas também enxergando desafios importantes", disse o CEO da TIM Brasil, Pietro Labriola.

O 4G da empresa de telefonia chega hoje a 3.295 cidades e 93% da população urbana brasileira.

Itália

A matriz da operadora na Itália anunciou na última segunda-feira (6) o executivo Giovanni Ronca como seu novo diretor financeiro (CFO), substituindo Piergiorgio Peluso, que se dedicará a "projetos estratégicos" da empresa.

Ronca trabalhou no banco comercial UniCredit e assumirá o cargo na TIM em 17 de junho. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA