Salvini cogita participação do governo na fusão FCA-Renault

Objetivo seria contrabalançar presença do Estado francÊs

Renault recebeu proposta de fusão da FCA
Renault recebeu proposta de fusão da FCA (foto: EPA)
17:47, 27 MaiMILÃO ZLR

(ANSA) - Membros do partido italiano Liga já cogitam abertamente a hipótese de o Estado entrar no capital da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) para ter voz em uma eventual fusão com a montadora francesa Renault.

O grupo ítalo-americano formalizou sua oferta nesta segunda-feira (27) e prevê um acordo que dê 50% das ações da companhia resultante a cada uma das duas empresas. A possibilidade de um investimento público seria uma forma de contrabalançar o governo da França, que tem 15% das ações da Renault.

"Seria um colosso mundial, e espero que dê certo. Se for pedida a presença institucional italiana, seria obrigatório aceitar, porque o setor automotivo é importante", disse o ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini, também secretário da Liga.

Poucas horas antes, o responsável econômico do partido, Claudio Borghi, havia dito que a entrada do Estado no capital da FCA "poderia ser uma ideia".

"Tudo será olhado com atenção, essa operação dará vida ao maior produtor de carros do mundo. Estaremos muito atentos para garantir que um patrimônio da história italiana seja valorizado", afirmou.

A fusão, na verdade, criaria o terceiro maior fabricante de veículos, atrás da Volkswagen e da Toyota, de acordo com os números atuais. Para ser o primeiro, o grupo resultante precisaria incluir a Nissan, que hoje tem uma aliança global com a Renault. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA