Acordo de fusão impulsiona FCA e derruba PSA na Bolsa

Grupos podem criar a quarta maior empresa automotiva do mundo

Fiat Chrysler e PSA anunciaram acordo de fusão
Fiat Chrysler e PSA anunciaram acordo de fusão (foto: ANSA)
21:23, 31 OutNOVA YORK ZLR

(ANSA) - Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e PSA tiveram desempenhos contrastantes no mercado financeiro nesta quinta-feira (31), após o anúncio do acordo para criar o quarto maior grupo automotivo do mundo.

As ações da empresa ítalo-americana dispararam na Bolsa de Milão e fecharam o pregão com alta de 8,2%, enquanto as da Exor, holding da família Agnelli, controladora da FCA, tiveram valorização de 5,6%.

Além disso, os papéis da FCA em Wall Street, Nova York, encerraram o dia com alta de 2,27%. Por outro lado, as ações da PSA, grupo dono de Peugeot, Citroën e Opel, fecharam o pregão em Paris com queda de 12,86%.

O acordo preliminar prevê que a nova empresa seja repartida igualmente entre as duas partes e tenha sede na Holanda, com ações cotadas em Milão, Paris e Nova York. "Vejo a oportunidade de criar algo realmente especial", disse o presidente da Fiat Chrysler Automobiles, John Elkann, que ocuparia o mesmo cargo na companhia resultante da fusão.

Já o CEO seria Carlos Tavares, que exerce essa função na PSA. "Essa convergência cria um valor significativo para todos os stakeholders e abre espaço para um futuro brilhante", comentou o executivo português, que também seria um dos 11 membros do conselho de administração.

O colegiado ainda teria cinco conselheiros indicados pela FCA e outros cinco designados pela PSA. A fusão criaria um grupo com faturamento anual de 170 bilhões de euros e lucro operacional de mais de 11 bilhões de euros, de acordo com os últimos balanços das empresas. Com 8,7 milhões de veículos vendidos em 2018, FCA e PSA formariam a quarta maior companhia automotiva do mundo.

A Fiat Chrysler já havia tentado uma fusão com a Renault, mas desistiu por conta das hesitações da Nissan e do governo da França, que também é acionista da Peugeot. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA