Fusão FCA-PSA cria 4º maior grupo automotivo do mundo

Conselhos aprovaram união entre as duas empresas

Sede da FCA em Auburn Hills, nos EUA
Sede da FCA em Auburn Hills, nos EUA (foto: EPA)
12:48, 18 DezTURIM ZLR

(ANSA) - Os conselhos de administração dos grupos Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e PSA, dono das montadoras Peugeot e Citroën, aprovaram nesta quarta-feira (18) um acordo de fusão que cria a quarta maior empresa do setor automotivo no mundo em termos de produção.

Juntas, as duas companhias fabricaram 8,7 milhões de veículos, atrás apenas da Volkswagen, da Toyota e da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, e faturaram cerca de 170 bilhões de euros em 2018.

O acordo prevê que o grupo resultante da fusão, cujo nome ainda não foi anunciado, tenha Carlos Tavares (PSA) como CEO e John Elkann (FCA) como presidente do conselho, que será formado por 11 membros, incluindo dois representantes dos trabalhadores de cada uma das empresas.

A sede será na Holanda, atual base legal da Fiat Chrysler, e as ações serão cotadas em Milão, Paris e Nova York. "O novo grupo terá equipe, competências, recursos e dimensões capazes de aproveitar com sucesso as oportunidades oferecidas por essa nova era de mobilidade sustentável", diz um comunicado conjunto.

"Juntas, as duas empresas terão uma base robusta para promover e estimular ainda mais a inovação e determinar o desenvolvimento de competências de vanguarda nos campos de veículos movidos a energias alternativas, da mobilidade sustentável e da direção autônoma e conectada", acrescenta a nota.

A operação de fusão deve ser concluída entre 12 e 15 meses e ainda está sujeita à aprovação dos acionistas e de órgãos antitruste. O acordo também não prevê o fechamento de fábricas.

"Essa é a união de duas empresas com marcas incríveis e pessoas apaixonadas e competentes. Ambas enfrentaram momentos de extrema dificuldade e saíram deles ainda mais ágeis, inteligentes e formidáveis", disse o CEO da FCA, Mike Manley. Já Tavares chamou a fusão de "momento histórico".

O grupo ítalo-americano detém marcas como Fiat, Maserati, Lancia, Jeep, Chrysler, Ram, Dodge e Alfa Romeo, enquanto a PSA, além de Peugeot e Citroën, é dona da Opel e da Vauxhall.

"O acordo entre PSA e FCA é uma ótima notícia para a França, para a Europa e para a nossa indústria automotiva. Representa uma importante etapa na criação de um líder europeu para responder aos desafios da mobilidade sustentável", afirmou o ministro francês da Economia, Bruno Le Maire - o governo detém pouco mais de 10% das ações da PSA.

A FCA já procurava um parceiro para uma fusão havia anos e, no início de 2019, tentou unir operações com a Renault, mas as tratativas esbarraram na hesitação da França, que também é acionista da empresa, e da Nissan. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA