Whirlpool confirma fechamento de fábrica em Nápoles

Objetivo da multinacional é encontrar comprador até julho

Protesto de trabalhadores da Whirlpool em Roma, durante reunião sobre futuro de fábrica em Nápoles
Protesto de trabalhadores da Whirlpool em Roma, durante reunião sobre futuro de fábrica em Nápoles (foto: ANSA)
19:01, 29 JanROMA ZLR

(ANSA) - A multinacional americana Whirlpool confirmou nesta quarta-feira (29) que fechará sua fábrica em Nápoles, maior cidade do sul da Itália, uma região carente de investimentos e oportunidades de trabalho.

A decisão foi anunciada em uma reunião de dirigentes da empresa com o ministro do Desenvolvimento Econômico Stefano Patuanelli, em Roma. O objetivo é selecionar um comprador para a unidade industrial até julho de 2020.

Durante o encontro, o CEO da Whirlpool Itália, Luigi La Morgia, disse que a fábrica de Nápoles, onde são produzidas máquinas de lavar, dá prejuízo de 20 milhões de euros por ano. A unidade emprega cerca de 420 pessoas.

A empresa pretendia encerrar as atividades da planta em 31 de março, mas depois concordou em adiar o prazo para 31 de outubro. "O governo está empenhado em encontrar uma solução definitiva para apoiar a continuidade produtiva da fábrica e proteger os trabalhadores", disse Patuanelli, por meio de uma nota.

A Whirlpool já havia ameaçado fechar a fábrica em outubro passado, alegando uma "crise estrutural" no mercado de máquinas de lavar. Essa não é a primeira vez que a multinacional se envolve em polêmica com o governo italiano.

Em 2018, a empresa fechou uma fábrica de sua então subsidiária Embraco, fabricante brasileira de compressores para refrigeradores, nos arredores de Turim e provocou protestos no país europeu.

A saída encontrada pela Whirlpool foi vender a Embraco para a companhia japonesa Nidec Corporation e repassar a fábrica italiana para o grupo sino-israelense Ventures, que pretendia usar a unidade para produzir robôs de limpeza para painéis fotovoltaicos e sistemas de depuração de água.

A produção na fábrica, no entanto, ainda não foi retomada. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA