Fusão entre FCA e PSA será concluída até o início de 2021

Grupo anunciou prazo durante apresentação de resultados

Fusão entre FCA e PSA criará quarto maior grupo automotivo do mundo
Fusão entre FCA e PSA criará quarto maior grupo automotivo do mundo (foto: ANSA)
13:47, 06 FevTURIM ZLR

(ANSA) - A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou nesta quinta-feira (6) que a fusão com o grupo francês PSA, dono da Peugeot e da Citroën, será concluída entre o fim de 2020 e o início de 2021.

A informação está em um comunicado da empresa ítalo-americana sobre seu balanço de 2019, que registrou lucro líquido de 2,7 bilhões de euros, queda de 19% na comparação com 2018, e faturamento de 108,2 bilhões (-2%).

O grupo resultante da fusão terá Carlos Tavares (PSA) como CEO e John Elkann (FCA) como presidente do conselho, que será formado por 11 membros. A sede será na Holanda, atual base legal da Fiat Chrysler, com ações cotadas em Milão, Paris e Nova York.

Juntas, as duas companhias fabricaram 8,7 milhões de veículos em 2018, atrás apenas da Volkswagen, da Toyota e da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi. Já em 2019, a FCA entregou 4,41 milhões de automóveis, queda de 9% em relação ao ano anterior.

"2019 foi um ano histórico para a FCA. Continuamos a criar valor para os acionistas e tomamos iniciativas voltadas ao crescimento futuro, fortalecendo de modo substancial nossa posição financeira", disse o CEO da empresa, Mike Manley, nesta quinta.

O executivo, no entanto, alertou ao Financial Times que existe o risco de paralisar uma fábrica da FCA na Europa nas próximas "duas ou quatro semanas", caso a epidemia do novo coronavírus se agrave.

Segundo Manley, o 2019-nCoV afetou quatro fornecedores do grupo. "Precisamos de duas a quatro semanas para entender se o fornecimento para uma de nossas fábricas na Europa será interrompido", acrescentou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA