Verstappen vence GP marcado por batida de Leclerc e Vettel

Holandês chegou à frente de Pierre Gasly e Lewis Hamilton

Verstappen celebra vitória no GP do Brasil
Verstappen celebra vitória no GP do Brasil (foto: EPA)
02:25, 18 NovSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Em uma corrida marcada pela colisão entre os pilotos da Ferrari, o holandês Max Verstappen, da Red Bull, venceu o Grande Prêmio do Brasil de F1, em Interlagos, e assumiu a terceira colocação no campeonato a uma prova do fim.

Com uma atuação segura, o piloto de 22 anos alcançou seu oitavo triunfo na carreira graças a uma boa largada na pole position e a duas ultrapassagens sobre o hexacampeão Lewis Hamilton. "Lewis estava muito rápido, então tive de acelerar. Fizemos duas manobras boas com ele, e depois pude controlar a corrida", disse Verstappen em entrevista a Rubens Barrichello.

A segunda posição ficou com Pierre Gasly, que - ironia do destino - foi beneficiado pelo seu "algoz" Alexander Albon. O francês foi demitido da Red Bull na metade da temporada e rebaixado para a Toro Rosso, enquanto o tailandês assumiu seu lugar na equipe austríaca.

Albon estava em segundo lugar na penúltima volta, mas se chocou com Hamilton em uma tentativa de ultrapassagem do britânico e acabou rodando. Gasly, que era o quarto, roubou a posição dos dois e segurou a pressão do hexacampeão na volta final.

"Esse é meu primeiro pódio, nunca vou esquecê-lo. A Toro Rosso me deu um carro incrível", celebrou. Já Hamilton disse que Verstappen estava mais rápido que ele nas retas. "Não havia muito mais a se fazer", acrescentou.

O britânico acabou punido com cinco segundos pelo toque em Albon e caiu para sétimo lugar, enquanto Carlos Sainz (McLaren) herdou o terceiro degrau no pódio. 

Kimi Raikkonen (Alfa Romeo), Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo), Daniel Ricciardo (Renault), Lando Norris (McLaren), Sergio Pérez (Racing Point) e Daniil Kvyat (Toro Rosso) completaram o top 10.

Ferrari

Os dois pilotos da Ferrari merecem um capítulo à parte. Na 66ª volta, quando ocupavam a terceira e quarta posições, Charles Leclerc ultrapassou Sebastian Vettel no "S do Senna". Logo em seguida, o alemão tentou dar o troco no monegasco, mas os dois bateram pneu com pneu e abandonaram a prova.

"Precisamos analisar a situação, nós dois estamos tristes pela equipe. Ele tentou ir para dentro, mas esse episódio não condiciona nossas relações, somos bastante maduros", garantiu Leclerc.

A transmissão mostrou o chefe de equipe da Ferrari, Mattia Binotto, desolado nos boxes. "Estamos decepcionados. Os dois pilotos devem perceber que prejudicaram toda a equipe. Eles estavam liberados para disputar, mas são pequenos erros pelos quais a equipe acaba pagando", disse o italiano.

A batida permitiu a Verstappen abrir vantagem na briga pela terceira posição no campeonato. Com os 25 pontos da vitória, o holandês chegou a 260, 11 a mais que Leclerc.  Já Vettel, com 230, pode no máximo tomar o quarto lugar de seu companheiro de equipe. A última corrida da temporada será em Abu Dhabi, em 1º de dezembro. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA