Hamilton celebra queda de estátua de traficante de escravos

Piloto da F1 voltou a usar redes para criticar racismo

Lewis Hamilton voltou a se manifestar sobre atos antirracistas
Lewis Hamilton voltou a se manifestar sobre atos antirracistas (foto: EPA)
13:13, 09 JunROMA E SÃO PAULO ZGT

(ANSA) - O hexacampeão da Fórmula 1, Lewis Hamilton, celebrou em suas redes sociais a derrubada da estátua do traficante de escravos britânico Edward Colston e uma notícia de que o prefeito de Londres, Sadiq Khan, está estudando retirar todas as obras do tipo na capital da Inglaterra.

Na segunda-feira (08), Hamilton repostou um vídeo no Instagram com a derrubada da estátua de Colston, ocorrida durante uma manifestação um dia antes, e, reafirmando que não concorda com a "violência ou atos criminosos" nos protestos antirracistas que se espalharam pelo mundo, destacou que "vocês tiveram muito tempo para fazer isso e não fizeram". "O poder para as pessoas", escreveu.

Em seus stories, na mesma rede social, o piloto afirmou que a obra "deve ficar no rio" junto com "as 20 mil almas africanas que morreram em viagens até aqui e foram jogadas no mar, sem sepultura em sua memória". "Ele roubou eles de suas famílias, de seus países e não deve ser celebrado", ressaltou ainda.

Já nesta terça-feira (09), Hamilton compartilhou uma matéria da emissora britânica "BBC" com uma entrevista com o prefeito londrino. Nela, Khan diz que é uma "verdade inconveniente" que Londres tenha tido um papel importante na questão do tráfico de escravos e que lançou um projeto para reanalisar a história de "todas as estátuas, placas e nomes de rua".

Além de remover homenagens às pessoas ligadas ao tráfico de escravos, Khan quer destacar a importância de todo o legado da "rica diversidade cultural" que a cidade tem em sua história. "Obrigada, Sadiq. Isso é um grande começo", escreveu o piloto.

Desde que os protestos pela morte do negro norte-americano George Floyd por um policial branco se espalharam, Hamilton vem usando suas redes sociais para dar voz ao movimento antirracista e para criticar a postura da sociedade em relação aos negros.

O atual campeão da F1 cobrou ainda que a categoria, bem como outros pilotos, se manifestassem sobre o racismo neste momento - já que ninguém havia usado nenhuma plataforma para falar sobre o tema.

A postura de Hamilton, inclusive, recebeu elogios públicos de seu chefe na Mercedes, Toto Wolff, e até mesmo do diretor esportivo da categoria, Ross Brawn. Para ambos, o piloto britânico é um "embaixador da F1". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA