Juventus é acusada de envolvimento com a máfia na Itália

Procuradoria de Turim e FIGC investigaram caso

Presidente da Juventus foi acusado de manter relacionamento com membro da máfia
Presidente da Juventus foi acusado de manter relacionamento com membro da máfia (foto: ANSA)
14:43, 26 JanTURIM E ROMA ZGT

(ANSA) - A diretoria da Juventus foi acusada nesta quinta-feira (26) de ter envolvimento com o grupo mafioso 'ndrangheta em uma matéria do jornal "Il Fatto Quotidiano".

Segundo a publicação, uma investigação aberta pela Procuradoria de Turim e repassada para a Procuradoria da Federação Italiana de Futebol (Figc) acusam o presidente da equipe Andrea Agneli de "atos ilícitos".

"A conclusão das investigações da justiça esportiva atribui ao número 1 bianconero um relacionamento pessoal com expoentes do crime organizado", destaca.

Ainda de acordo com a matéria, "o chefe dos ultràs" da equipe (como são conhecidas as organizadas na Itália) estava ligado a uma investigação por pertencer à 'ndrine - uma vertente da máfia 'ndrangheta - e tinha dito aos procuradores de Turim que "viu Andrea pessoalmente e conversamos sobre a gestão dos ingressos e pagamentos".

O texto do jornal informa ainda que havia uma acordo entre a diretoria da Juventus e os grupos de torcidas organizadas para "garantir a tranquilidade nos estádios". A Procuradoria da cidade italiana não incluiu na investigação nenhum dirigente da Juve, mas informou que esse "relacionamento" teria efeitos no futebol.

Em nota, a Juventus informou que "nenhum funcionário ou afiliado foi investigado em caso penal" no âmbito das investigações que analisam as famílias que pertencem à 'ndrangheta e que tentam se infiltrar no clube bianconero.

A equipe ainda informa que o caso está sendo analisado pelos advogados do clube para "proteger a própria honra e respeitabilidade". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA