Deputado italiano posta mensagem racista para Mihajlovic

Torrcedor da Juventus, Corsaro chamou o sérvio de "cigano"

Deputado italiano posta mensagem racista para Mihajlovic (foto: Divulgação/Massimo Corsaro)
21:15, 05 JanTURIM ZGT

(ANSA) - O deputado italiano de centro-direita Massimo Corsaro entrou em polêmica nesta quarta-feira (4), após publicar em suas redes sociais insultos racistas ao ex-técnico do Torino Sinisa Mihajlovic.

Torcedor da Juventus, Corsaro ironizou a demissão do treinador após a derrota do Torino para a Velha Senhora, por 2 a 0, que culminou na eliminação da equipe granata da Copa da Itália. Além disso, o deputado insultou os comentaristas esportivos da emissora "RAI".

 "Que bonita a RAI sem a merda dos comentaristas chorões. A equipe bovina é mais inútil que o Borgorosso FC. Mihajlovic é um cigano que comanda um bando de perdedores frustrados.", escreveu o deputado.

A publicação de Corsaro causou a indignação não só dos torcedores do Torino, mas, também da torcida da Juventus, que condenaram os comentários racistas. Após a repercussão negativa do tweet, o deputado deletou a mensagem da sua rede social.

Em resposta, a esposa de Mihajlovic, Arianna Rapaccioni, publicou uma foto em seu perfil no Instagram do sérvio e na legenda apoiou o marido. "Mesmo que você não seja, entro naquela massa de pessoas ignorantes que pensam que nascer na Sérvia significa ser um cigano, e como não tenho nada contra eles, eu digo que você é meu cigano favorito", escreveu.

Horas depois, o deputado pediu desculpas pelas mensagens racistas contra o técnico Mihajlovic.

"Peço desculpas publicamente ao senhor Mihajlovic, com razão do meu tweet. Eu acho que você sabe que a paixão por certos eventos esportivos leva a excessos irracionais. Comentários recebidos, também guardo uma lembrança dos comentários recebidos, para saber daqueles que não aprendem", escreveu Corsaro.

 Aos 54 anos, Corsaro é ex-membro do Movimento Social Italiano (MSI). Atualmente é muito próximo do partido Conservadores e Reformistas (COR) do ex-ministro Raffaele Fitto.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA