Lesões marcaram preparação russa para a Copa

Seleção perdeu três jogadores por conta de graves contusões

Stanislav Cherchesov, técnico da seleção da Rússia
Stanislav Cherchesov, técnico da seleção da Rússia (foto: EPA)
03:13, 14 JunROMA ZLR

(ANSA) - Técnico da anfitriã da Copa do Mundo de 2018, Stanislav Cherchesov será o responsável por tentar evitar um vexame da desacreditada e desfalcada seleção da Rússia no torneio.

Por ser sede do Mundial, o país não precisou disputar as Eliminatórias, mas a preparação foi marcada por graves lesões, que atrapalharam os planos de Cherchesov.

Um dos principais atacantes da Rússia, Alexandr Kokorin, do Zenit, rompeu o ligamento cruzado do joelho em março, durante uma partida na Liga Europa contra o Red Bull Leipzig, da Alemanha, e ficou de fora da Copa.

Além dele, os defensores Viktor Vasin, do CSKA, e Georgi Dzhikiya, do Spartak Moscou, também romperam os ligamentos do joelho e foram cortados. "Todos os meses perdemos peças fundamentais, agora precisamos compensar essas ausências. Não estou reclamando, mas vejo que o destino está nos colocando à prova", disse Cherchesov.

Sem Kokorin e com a aposentadoria, no ano passado, do maior artilheiro da história da seleção russa, Aleksandr Kerzhakov, a responsabilidade de balançar as redes caiu nos pés do atacante Fyodor Smolov, do Krasnodar.

No meio de campo, a seleção precisará da criatividade e da técnica de Roman Zobnin e Aleksandr Golovin. O zagueiro e lateral-direito Mario Fernandes, que é brasileiro naturalizado russo, também está no grupo.

A grande referência da seleção russa está no gol: Igor Akinfeev, do CSKA. O experiente jogador é convocado desde 2004 e já disputou mais de 100 jogos por seu país. A Rússia também vive sob a sombra do doping, e não somente nos esportes olímpicos. O meio-campista Ruslan Kambolov foi investigado pela Fifa, que decidiu não o suspender. Ainda assim, ele não foi convocado por Cherchesov.

A Rússia está no grupo A, ao lado de Arábia Saudita, Egito e Uruguai. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA