Uefa adia sentença do Milan por gasto excessivo

Clube poderá ficar de fora da próxima edição da Liga Europa

Uefa adia sentença do Milan por gasto excessivo
Uefa adia sentença do Milan por gasto excessivo (foto: ANSA)
18:11, 08 JunMILÃO ZRS

(ANSA) - A Câmara de Investigação da Uefa adiou temporariamente nesta semana a sentença contra o Milan por ter violado as regras do "fair play financeiro" da entidade entre os anos de 2016 e 2018.

A sentença ficará adiada até a Corte Arbitral do Esporte (CAS) analisar a "punição imposta ao clube por descumprir o equilíbrio financeiro no período 2015, 2016 e 2017".

Com isso, o clube rossonero, por enquanto, não será excluído das próximas competições organizadas pela Uefa, embora a situação possa mudar dependendo do veredicto final da confederação europeia.

O balanço financeiro do Milan entre 1º de julho de 2017 e 30 de junho de 2018, quando o clube estava sob o comando do empresário chinês Li Yonghong, foi fechado com um vermelho de 126 milhões de euros. A situação foi aprovada em outubro passado pelo novo proprietário do time, o fundo norte-americano Elliott.

Por conta da gastança do Milan, a Uefa determinou que o time rossonero tem até o dia 30 de junho de 2021 para corrigir sua situação financeira. Caso contrário, a equipe italiana não poderá disputar nenhuma competição organizada pela confederação continental nas temporadas 2022/2023 e 2023/2024.

Entre outras punições recebidas pelo Milan, a Uefa reteve uma quantia de 12 milhões de euros do clube rossonero e também afirmou que o time não poderá inscrever mais de 21 jogadores para participarem de competições da entidade nas temporadas 2019/2020 e 2020/2021.

O Milan terminou na quinta colocação do Campeonato Italiano e se classificou para a Liga Europa. Caso seja proibido de participar do torneio, a vaga passaria ao Torino, que terminou a Série A em sétimo.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA