Itália deve ganhar observatório contra racismo no esporte

Unar pretende lançar entidade em março de 2020

Itália deve ganhar observatório contra racismo no esporte
Itália deve ganhar observatório contra racismo no esporte (foto: ANSA)
11:39, 08 OutROMA ZRS

(ANSA) - O Escritório Nacional Antidiscriminação Racial (Unar), órgão subordinado à Presidência do Conselho dos Ministros, anunciou que pretende lançar em março de 2020 na Itália um observatório contra o racismo no esporte.

A iniciativa ganhou forma após os mais recentes incidentes de discriminação racial nos estádios italianos de futebol. Os jogadores Romelu Lukaku, Franck Kessié e Dalbert já foram vítimas.

De acordo o diretor da Unar, Triantafillos Loukarelis, o observatório deverá ser lançado no dia 21 de março de 2020, dia mundial contra a discriminação racial.

"O mundo do futebol está conversando conosco para superar os fenômenos do racismo que são registrados nos estádios da Série A e nos campos suburbanos. Queremos uma aliança. Recebemos relatórios sobre discriminação e monitoramos a mídia na web, o ódio online. A percepção é um número crescente, mas infelizmente muitos casos não são relatados", disse Loukarelis.

Em entrevista à ANSA, Loukarelis revelou que teve nesta segunda-feira (7) um primeiro encontro com as associações de jogadores e treinadores e afirmou que recebeu um feedback positivo.

O início da atual edição do Campeonato Italiano está sendo manchado por conta de episódios de agressões raciais. Apesar de três casos terem ganhado destaque, ninguém foi punido pelos atos.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA