Napolitano pede que Itália lute contra fanatismos

Presidente alertou que país é ameaçado por extremistas

Presidente italiano participa do Dia da Unidade Nacional, em Roma (foto: ANSA)
10:10, 04 NovROMA ZBF

(ANSA) - O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, afirmou nesta terça-feira (4) que o mundo tem presenciado o surgimento de "novas e agressivas formas de extremismo e fanatismo". Em um discurso por ocasião do Dia da Unidade Nacional e das Forças Armadas, Napolitano pediu que a Itália se mantenha firme no combate a esses tipos de ameaças.
    Em uma cerimônia no Altar da Pátria, em Roma, junto com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, e os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Laura Boldrini e Pietro Grasso, respectivamente, Napolitano disse que a União Europeia e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) devem trabalhar juntos para comabter o extremismo.
    "Em um mundo que manifesta tensões e instabilidades crescentes, há cada vez mais novas e agressivas formas de extremismo e fanatismo, os quais ameaçam a Europa, principalmente a Itália, infiltrando-se gradualmente nas sociedades", disse o Chefe de Estado. "É uma ameaça real, militar, que, junto com a União Europeia e a Otan, devemos estar prontos para prevenir e combater", ressaltou. "Esta é um novo e grande desafio para as Forças Armadas Italianas", disse Napolitano. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA