Merkel cobra rapidez de Itália e Grécia contra imigração

Chanceler pediu criação de centros de registro para ilegais

Novo foco da crise migratória na Europe atinge a fronteira entre Grécia e Macedônia (foto: EPA)
08:33, 25 AgoBERLIM ZLR

(ANSA) - Envoltas em inúmeras dificuldades para receber as centenas de imigrantes clandestinos que chegam todos os dias ao seu litoral, Grécia e Itália receberam nesta segunda-feira (24) um chamado da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para "agirem rápido" para conter a crise migratória.
    Segundo ela, essas nações devem abrir rapidamente centros de cadastro para solicitantes de refúgio. "Estabelecemos com os chefes de governo que se criem centros de registro nos países particularmente atingidos pelas primeiras chegadas, como Grécia e Itália. Isso deve acontecer rapidamente, ainda neste ano, não podemos aceitar atrasos", disse.
    A declaração foi dada em uma coletiva de imprensa conjunta em Berlim com o presidente francês, François Hollande, que também pediu para Atenas e Roma "acelerarem" esse processo. "É indispensável que esses centros sejam feitos", declarou.
    Nos próximos dias, os ministros do Interior de Alemanha e França devem propor um documento com novas medidas contra a crise migratória na Europa. Apenas no primeiro semestre de 2015, a União Europeia recebeu 400 mil solicitações de asilo. Para efeito de comparação, em 2014 inteiro foram cerca de 600 mil pedidos.
    Além disso, em julho, o bloco registrou a entrada de 107,5 mil imigrantes ilegais, o número mais alto de toda a sua história para um único mês. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en