Homem ateia fogo em seu corpo em mansão de Berlusconi

Empreendedor protestava contra corte em linha de crédito

Imagem externa da mansão de Silvio Berlusconi em Arcore
Imagem externa da mansão de Silvio Berlusconi em Arcore (foto: ANSA)
15:01, 14 DezMONZA ZLR

(ANSA) - Um empreendedor ateou fogo no próprio corpo em frente à mansão do ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi em Arcore, na província de Monza, norte do país.

 

O episódio aconteceu na manhã desta segunda-feira (14), quando o homem parou na cancela que dá acesso à Vila San Martino e se incendiou com um fósforo - seu corpo estava coberto com um líquido inflamável.

 

Os policiais que faziam a vigilância no local conseguiram derrubá-lo no chão e apagar as chamas. Em seguida, a vítima, identificada como Claudio Usala, de 30 anos, foi levada ao hospital Niguarda, em Milão.

 

O empreendedor é dono de uma agência publicitária de Cagliari, no sul da Itália, e resolveu atear fogo em si após, dois dias antes, um banco ter reduzido drasticamente sua linha de crédito, o que expôs a empresa, que tem 12 funcionários, ao risco de falência. Pai de um menino, ele então decidiu se incendiar para chamar atenção para a sua situação. No entanto, ainda não está claro porque Usala escolheu fazê-lo em frente à mansão de Berlusconi. Ele não corre risco de morrer.

 

No fim de novembro, um homem já havia tirado a própria vida por conta de problemas envolvendo instituições financeiras. Luigino D'Angelo, um aposentado de 68 anos, perdera todas as suas economias com a quebra do Banco Popular de Etruria, onde tinha investido 100 mil euros em aplicações.

 

Ao perceber que não conseguiria reaver o dinheiro, ele se enforcou em sua casa. O caso fez com que o governo do primeiro-ministro Matteo Renzi acelerasse uma reforma no setor bancário para evitar que outras instituições entrem em falência e não consigam honrar seus compromissos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA