Premier italiano nega aumento de impostos sobre Airbnb

Comissão aprovou taxação de 21% sobre o site de hospedagens

Hospedagem oferecida pelo Airbnb na Grande Barreira de Corais, na Austrália
Hospedagem oferecida pelo Airbnb na Grande Barreira de Corais, na Austrália (foto: Ansa)
16:59, 12 NovROMA ZLR

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, negou neste sábado (12) que seu governo aumentará os impostos sobre o serviço de hospedagens Airbnb.

A declaração foi dada um dia depois de a Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados ter aprovado a criação de uma taxa automática de 21% sobre o aluguel por curto período de imóveis de pessoas físicas ou situados fora do sistema hoteleiro.

O alvo da medida era justamente o Airbnb, que ganhou espaço no mundo inteiro oferecendo hospedagens mais baratas e negociadas diretamente com os donos das residências. A emenda havia sido apresentada pelo centro-esquerdista Partido Democrático (PD), liderado por Renzi.

"Nenhum novo imposto no orçamento, nenhum. Nem mesmo sobre o Airbnb. Enquanto eu for premier, as taxas serão reduzidas, não aumentadas", escreveu o primeiro-ministro no Twitter. Existe uma pressão na Itália para aumentar a taxação sobre serviços de intermediação de hospedagens, tal qual ocorreu com o aplicativo de transporte Uber. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA