Italiano será processado por fingir furto de própria Porsche

Criminoso teria fingido roubo para receber dinheiro de seguro

Graziano Mesina será processado por fingir furto de própria Porsche
Graziano Mesina será processado por fingir furto de própria Porsche (foto: ANSA)
17:57, 11 JanNUORO ZAR

(ANSA) - Após a recente condenação de 30 anos de prisão pelo Tribunal de Cagliari, na região italiana da Sardenha, o criminoso Graziano Mesina, um dos maiores da Itália após o fim da Segunda Guerra Mundial, sofrerá um novo processo na cidade de Nuoro: o de ter fingido o roubo do seu próprio carro.

Mesina foi acusado de ter planejado e realizado o furto da sua Porsche Cayenne em março de 2013 para aproveitar o seguro do veículo. A primeira audiência foi adiada para a próxima segunda-feira (16) pelos advogados do "maior bandido sardo".

O "furto" aconteceu quando Mesina e seu motorista almoçavam em um restaurante em Villagrande Strisaili. Poucos momentos após o roubo, os "ladrões" ligaram para o criminoso e, segundo ele, pediram desculpas por que só depois descobriram que o carro era dele e disseram onde tinham colocado a Porsche.

O veículo no entanto, foi encontrado incendiado em uma pedreira abandonada de Monte Albo, também na Sardenha, alguns dias depois. De acordo com os juízes de Nuoro, o caso se trata de um falso furto com objetivo obter o dinheiro do seguro do carro.

Mesina, que atualmente está no presídio de Badu 'e Carros, em Nuoro, foi um dos maiores criminosos da Itália desde o fim da Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945), principalmente no sul do país, conhecido pelos extensos casos de fraude, 22 no total, e por ter mediado o sequestro do menino canadense de 7 anos Farouk Kassam em 1992, crime que chocou os italianos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA