Partido de Renzi pode sofrer ruptura e abrir crise na Itália

O Partido Democrático deverá ser dividido no próximo domingo

Partido de Renzi pode sofrer ruptura e abrir crise na Itália
Partido de Renzi pode sofrer ruptura e abrir crise na Itália (foto: ANSA)
14:40, 17 FevROMA zsg

(ANSA) - O Partido Democrático (PD) italiano, que governa o país com o primeiro-ministro Paolo Gentiloni, está a um passo de sofrer uma bruta ruptura que pode mudar o panorama político nacional.

Na batalha, de um lado está o líder do PD e ex-premier Matteo Renzi. De outro, um grupo minoritário de tendência mais à esquerda. A ruptura pode ocorrer no próximo domingo (19), quando haverá a assembleia do partido, que tem se enfraquecido há semanas por desavenças internas.

Além de afetar o governo italiano, a divisão do PD colocaria fim a um projeto de uma década de integração entre a centro-esquerda italiana, formada pelas legendas sucessoras da Democracia Cristã e do Partido Comunista Italiano (PCI).

A crise começou no ano passado, quando Renzi propôs um referendo para alterar a Constituição da Itália e o sistema político. Alas dentro do PD discordavam do referendo e Renzi acabou perdendo a votação nas urnas, o que lhe custou o cargo de primeiro-ministro em dezembro. Desde então, Renzi tenta relançar o Partido Democrático e evitar debandadas.

A situação se agravou na última semana e um vídeo divulgado hoje (17) mostra uma conversa entre o presidente da Comissão de Transportes da Câmara dos Deputados, Michele Meta, e o ministro de Infraestrutura, Graziano Delrio, comentando que "uma parte já decidiu" deixar o partido.

Um dos principais nomes que se opõem a Renzi dentro do PD e o ex-secretário do partido Pier Luigi Bersani, que critica a maneira com a qual o ex-premier conduz a legenda. "O PD, na realidade, é o PRD- Partido Democrático de Renzi, uma formação pessoal que retirou toda a identidade do PD e seu pluralismo", alfinetou nesta semana. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA