EUA emite alerta de viagem à Itália por sarampo

Península já registrou mais de 1,4 mil casos da doença em 2017

Quase todos os casos de sarampo na Itália em 2017 atingiram pessoas não vacinadas
Quase todos os casos de sarampo na Itália em 2017 atingiram pessoas não vacinadas (foto: ANSA)
20:32, 18 AbrWASHINGTON ZLR

(ANSA) - Os Estados Unidos colocaram a Itália na lista de países que representam "risco à saúde" de turistas norte-americanos por causa do surto de sarampo que atinge a nação europeia desde o início do ano.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) emitiu nesta terça-feira (18) um comunicado no qual convida os cidadãos de partida para a Itália a tomarem "medidas de precaução", como vacinar-se e lavar frequentemente as mãos.

Além disso, o CDC aconselha os norte-americanos a evitarem contatos físicos com pessoas que possam estar infectadas. Outros países da União Europeia considerados "de risco" por causa do sarampo são Alemanha e Bélgica.

Entre 1º de janeiro e 9 de abril, a Itália já registrou 1473 casos da doença, 74% a mais que os 844 assinalados no ano de 2016 inteiro. Desse total, 88% dos pacientes não eram vacinados contra o sarampo, e 57% dos infectados estão na faixa entre 15 e 39 anos de idade.

A patologia atingiu moradores de 18 das 20 regiões do país, mas 92% dos casos estão concentrados em sete delas: Piemonte, Lazio, Lombardia, Toscana, Abruzzo, Vêneto e Sicília. Todos os dados são do Ministério da Saúde.

Em janeiro passado, o Estado da Itália e as regiões chegaram a um acordo para patrocinar uma nova lei que tornasse a vacinação obrigatória em todo o território nacional. O programa incluiria doenças como sarampo, tétano, poliomielite, hepatite B, HPV, difteria, coqueluche, caxumba e meningite. Contudo, o projeto ainda precisa passar pelo Parlamento. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA