Prefeito italiano é expulso de restaurante por usar bermuda

O caso ocorreu em Viareggio, cidade famosa pelo seu carnaval

O prefeito de Viareggio, Giorgio Del Ghingaro (foto: ANSA)
16:37, 09 AgoVIAREGGIO ZLR

(ANSA) - O prefeito de Viareggio, balneário turístico situado na região italiana da Toscana, foi "convidado a se retirar" de um restaurante na cidade por estar usando bermuda.

O episódio ocorreu na noite da última terça-feira (8) e foi divulgado pelo próprio chefe municipal, Giorgio Del Ghingaro, em um texto no Facebook no qual ele fala em uma experiência "um pouco humilhante" e "desagradável".

"Nesta noite fui educadamente convidado a sair de um local. Uma experiência um pouco humilhante, confesso, mas parto do conceito de que tudo é cultural", escreveu o prefeito, que postou uma foto de seu "look" e questionou: "Cá entre nós, estava vestido tão mal assim?".

Segundo Del Ghingaro, ele estava com um casal de amigos em um restaurante para jantar e, como não era um compromisso institucional, se sentiu livre para usar roupas "casuais". "Em determinado momento, se aproxima o garçom, embaraçado, e me comunica que, considerando que não uso calças longas, não posso estar ali", contou o prefeito.

"Explico a ele (atônito) que não sabia, explico o porquê de estar vestido assim, que eu também sou uma pessoa normal, com roupas normais. Depois de poucos minutos, ele volta e me pede gentilmente para sair, porque as regras daquele lugar são aquelas, ainda que não estivessem ilustradas na entrada. Se desculpa, mas diz que não pode fazer nada", acrescentou.

Em seguida, Del Ghingaro se levantou, se despediu dos amigos e, "não sem vergonha", saiu do restaurante. "No fim das contas, jantei bem em outro lugar (muito bem), em ótima companhia, sem censura sobre as roupas, ainda que com a sensação ruim de ter sofrido uma pequena violência", disse.

Com a repercussão do caso, o restaurante, que fica no Clube Náutico Versilia, se pronunciou nesta quarta-feira (9) e lamentou o ocorrido, mas ressaltou que seu regulamento prevê um "código de vestimenta" que está explicado em dois cartazes. Uma das regras proíbe a entrada com bermuda após as 19h.

"Existe um regulamento ao qual é preciso estar atento. Lamento pelo acontecido e espero que haja uma ocasião para um esclarecimento com o prefeito, a quem pretendo dar uma carteirinha de sócio", disse o conselheiro da secretaria do clube, Muzio Scacciati.

A polêmica aconteceu no mesmo dia em que a Prefeitura de Viareggio, que fica no litoral da província de Lucca e é famosa pelo seu carnaval, aprovou um pacote de medidas para garantir o "decoro" na cidade. Uma das normas proíbe moradores e turistas de andarem na rua com o torso nu e prevê multas de até 80 euros (R$ 300). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA