"Itália não é mais a 'lanterna' da Europa", diz Gentiloni

Premier rebateu UE e exaltou resultado positivo no PIB

"Itália não é mais a 'lanterna' da Europa", diz Gentiloni (foto: ANSA)
15:21, 15 NovROMA ZBF

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, rebateu hoje (15) as críticas da União Europeia (UE) de que o país estivesse ocultando ou alterando os dados de desempenho econômico.

"Desde ontem, não somos mais os 'lanternas' da Europa. Devemos nos conscientizar mais de que a substância do discurso não são as crifas, mas sim, entender que o país voltou a crescer - mesmo que este crescimento não tenha curado as feridas da crise", afirmou o premier, na inauguração do Ano Acadêmico da Universidade Católica.

Gentiloni se referiu aos dados revelados ontem pelo Instituto Italiano de Estatísticas (Istat) de que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,5% no terceiro trimestre. Mesmo assim, a Comissão Europeia pretende enviar um novo pedido à Itália sobre esclarecimentos de contas atuais e previsão orçamentária para 2018.
   

Citando o papa Francisco, Gentiloni falou sobre como se deve reagir diante de mudanças e de invovações, olhando sempre as oportundiades. "As mudanças trazem oportunidades extraordinárias. Não podemos ficar tristes quando as condições de vida aumentam, com a revolução digital, com a robótica...
   

Devemos aceitar os desafios sem medo", disse. Gentiloni, porém, admitiu que a retomada econômica não reduziu, necessariamente, a taxa de desemprego, mas demonstrou otimismo.
   

"Por isso, os representantes de governo devem agir contra a exclusão e a pobreza". "Finalmente, temos um país que cresce e que deve ficar cada vez mais aberto à colaboração e aos investimentos das grandes empresas globais", exaltou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA