Ladrões roubam joias de milhares de euros de mostra em Veneza

O assalto ocorreu dentro do Palazzo Ducale nesta quarta-feira

Investigadores analisam roubo no Palazzo Ducale (foto: ANSA)
13:57, 03 JanVENEZA ZGT

(ANSA) - Algumas joias da mostra "Tesori dei Moghul e dei Maharaja", que está sendo realizada no Palazzo Ducale em Veneza, na Itália, foram roubadas na manhã desta quarta-feira (3).

O alarme do assalto foi dado às 10h (hora local) e a polícia já está investigando o caso.

De acordo com as primeiras informações, as peças valiam "algumas dezenas de milhares de euros" e teriam sido subtraídas do local com uma caixa.

A exposição havia sido inaugurada em 9 de setembro e seria encerrada hoje, sendo a primeira vez que ela era apresentada na Itália. No local, estavam expostos gemas de ouro, pedras preciosas e joias indianas produzidas entre os séculos 16 e 20 que pertenciam à Coleção Al Thani.

Ao todo, estavam sendo expostas 270 peças que "contam os 500 anos da história da arte no ouro ligada, por origem ou inspiração, ao subcontinente indiano", informava o Palazzo Ducale sobre o evento.

Veneza pede ajuda de Roma

O delegado de Veneza, Vito Gagliardi, informou que foram chamados especialistas da Polícia de Roma para ajudar nas investigações sobre o roubo de peças.

Segundo o líder da polícia, é "indispensável" entender "o que não funcionou" dentro do Palazzo Ducale porque "a redoma foi aberta como se fosse uma caixinha enquanto o alarme, se funcionou, disparou muito tardiamente".

Ainda de acordo com Gagliardi, as peças roubadas "não estão entre as mais fortes" da exposição e as fotos dos objetos foram enviadas para Londres, pelos próprios gestores da mostra, para identificar e quantificar o valor das peças.

Peças podem valer 'milhões de euros'

Os investigadores estimam que as peças subtraídas "valham alguns milhões de euros".

Segundo uma declaração da Delegacia local, o preço declarado na entrada dos itens na Itália é de 30 mil euros, mas o "valor real" delas é muito mais alto.

De acordo com a entidade, foram roubados um par de brincos e um broche da exposição. Para os investigadores, as peças são muito difíceis de negociar no "mercado negro" porque são mundialmente conhecidas. Então, a hipótese mais provável, até o momento, é que os ladrões roubaram as peças para desmanchá-las e vender as pedras preciosas separadamente.

Da análise dos vídeos de vigilância, emerge que os ladrões - não está claro se são dois ou mais porque estão misturados com a multidão de visitantes -, depois que roubam os itens, os colocam nos bolsos e saem sem serem interrompidos.

Eles saíram sem hesitar do Palazzo Ducale, com passos calmos e se misturaram entre os turistas que estavam naquele momento na Piazza San Marco. A partir de então, os policiais perderam os rastros deles. (ANSA) 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA