Rede de fast food insinua que italianos não querem trabalhar

Além disso, empresa foi acusada de sexismo e racismo em anúncio

Rede de fast food insinua que italianos não querem trabalhar
Rede de fast food insinua que italianos não querem trabalhar (foto: Ansa)
17:13, 13 MarMILÃO ZLR

(ANSA) - Uma rede de fast food causou polêmica na Itália ao publicar no Facebook um anúncio de vaga para caixa em uma de suas lojas em Milão.

"Italianos, acordem! O trabalho está lá, vocês é que não estão", anunciou a hamburgueria Burgez. A empresa, que tenta fazer da comunicação um de seus pontos fortes, teve suas redes sociais invadidas por críticas, não apenas por sugerir que os italianos não querem trabalhar, mas também por sexismo e racismo.

"Se nos perguntam por que a maior parte das caixas são garotas filipinas, respondemos que é porque as italianas no sábado têm o namorado, na quarta têm a academia, no domingo estão cansadas, etc.", diz o anúncio.

Em resposta à polêmica, a cofundadora da Burgez, Simone Ciaruffoli, declarou que "não é verdade" que a empresa não quer italianos. "Pelo contrário, gostaríamos de ter mais [italianos], mas está difícil de encontrar. A academia e o cansaço são algumas das palavras ouvidas nas entrevistas, que nenhuma estrangeira disse", acrescentou.

Segundo ela, não trata-se de "racismo", apenas da "realidade".

"É inútil defender a italianidade a todo custo, melhor estimular os jovens, tanto que já recebemos 260 currículos", reforçou Ciaruffoli. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en