Itália investiga governador por avalanche em hotel

Desastre no Rigopiano matou 29 pessoas em janeiro de 2017

Ruínas do hotel Rigopiano, no centro da Itália
Ruínas do hotel Rigopiano, no centro da Itália (foto: ANSA)
20:49, 15 MaiPESCARA ZLR

(ANSA) - O governador de Abruzzo, Luciano D'Alfonso, e seus dois antecessores imediatos, Giovanni Chiodi e Ottaviano Del Turco, estão sendo investigados pelo Ministério Público de Pescara por causa da avalanche que destruiu o hotel Rigopiano, na Itália, em janeiro de 2017.

O deslizamento, provocado pela sequência de terremotos na parte central da península, deixou 29 pessoas mortas. As hipóteses de crime do inquérito são homicídio, lesões e desastre culposos. Além do governador e de seus antecessores, a Procuradoria investiga funcionários da Proteção Civil na região.

O objetivo é apurar por que o governo de Abruzzo não produziu um mapeamento das zonas de risco, algo que teria diminuído a possibilidade de uma tragédia. O Rigopiano ficava na cidade de Farindola, nos Apeninos, e foi completamente destruído.

Os hóspedes e funcionários que faleceram estavam apenas aguardando o envio de um caminhão limpa-neve para ir embora. Em outros inquéritos, os procuradores também apuram eventuais atrasos na ativação do socorro e supostas irregularidades na construção do hotel. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA