Verdade sobre italianos desaparecidos no México está próxima

Advogado da família apresentará o caso à Itália nesta semana

Verdade sobre italianos desaparecidos no México está próxima
Verdade sobre italianos desaparecidos no México está próxima (foto: ANSA)
17:44, 11 JunNÁPOLES ZLR

(ANSA) - O desaparecimento de três cidadãos italianos no México, ocorrido no começo deste ano, ganhou um novo capítulo.

"Os responsáveis agora têm nome e sobrenome, e a situação foi reconstruída perfeitamente", revelou à ANSA o advogado das famílias dos napolitanos, Claudio Falleti.

Ainda de acordo com ele, os principais nomes da investigação são o de "Don Ángel" e de um chefe policial da região, possivelmente ligados a um cartel de drogas.

Falleti descreve as pessoas envolvidas no sumiço dos italianos em um documento de 22 páginas que será entregue à Procuradoria de Nápoles.

Além disso, na terça-feira (12), o caso será apresentado pela família dos desaparecidos e pelo advogado diante da Câmara dos Deputados da Itália.

"Os responsáveis pelo sumiço foram identificados. Agora queremos saber onde estão nossos compatriotas. Não devemos esperar mais tempo, inutilmente, até porque já se passaram quatro meses. A campanha eleitoral terminou. Temos um governo, e a política não tem mais desculpas", disseram os familiares.

O advogado também disse que espera marcar um encontro com os ministros do Interior (Matteo Salvini), de Relações Exteriores (Enzo Moavero Milanesi) e para o Sul (Barbara Lezzi), para discutir o assunto.

Segundo o relato de Falleti, o vendedor ambulante Raffaele Russo estava com seu filho Antonio Russo e seu sobrinho Vincenzo Cimmino, até que Raffaele teve de sair.

Sua família, que não recebera mais notícias após sua partida, ficou em alerta, e através de localização por GPS, encontrou o carro alugado do vendedor.

Quando chegaram ao automóvel, Antonio e Vincenzo foram abordados pelas autoridades. "Estamos no carro com a polícia", escreveu Antonio ao seu irmão Francesco. Essas foram as últimas notícias da família napolitana.

Em seguida, Francesco foi ao departamento de polícia local, quando soube que dois italianos chegariam lá, mas não encontrou ninguém.

Os agentes de polícia, por sua vez, durante o trajeto que realizavam com os dois italianos, receberam ordens superiores de ir para um determinado ponto da cidade.

No local escolhido, encontraram o vice-chefe da polícia de Jalisco, Hilario Farias Mejia, e "Don Ángel", descrito pelos policiais como "a bordo de uma SUV vermelha sem placa, bem vestido e com um dente de prata". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA