Migrantes são recebidos com saudação romana e 'Bella ciao'

Cerca de 100 eritreus foram transferidos para Rocca di Papa

Protesto neofascista em Rocca di Papa, nos arredores de Roma (foto: ANSA)
15:13, 29 AgoROMA ZLR

(ANSA) - Sob protestos de grupos de ultradireita e manifestações de apoio da esquerda, cerca de 100 migrantes resgatados no Mediterrâneo chegaram na noite desta terça (28) e na madrugada desta quarta-feira (29) à cidade de Rocca di Papa, nos arredores de Roma, onde ficarão hospedados em uma estrutura da Igreja Católica.

O grupo estava no navio Diciotti, da Guarda Costeira da Itália e que passou cinco dias bloqueado no Porto de Catânia, na Sicília, por determinação do ministro do Interior Matteo Salvini, que só autorizou o desembarque após a Igreja, a Albânia e a Irlanda se comprometerem a acolher os deslocados internacionais.

Os migrantes cumpriram o trajeto de mais de 800 quilômetros entre Catânia e Rocca di Papa em dois ônibus, que foram recebidos por manifestantes dos movimentos neofascistas Força Nova e CasaPound e do partido de ultradireita Irmãos da Itália.

Os militantes seguravam bandeiras italianas e faixas pedindo um "bloqueio naval" no Mediterrâneo. Alguns fizeram inclusive a "saudação romana", que virou símbolo do fascismo. Por outro lado, manifestantes de esquerda exibiam cartazes dizendo "bem-vindos" e cantavam a música "Bella ciao", ícone da Resistência.

As pessoas levadas a Rocca di Papa são todas da Eritreia, país do Chifre da África onde o serviço militar masculino é obrigatório e que vive um cenário de opressão, pobreza e violação dos direitos humanos por parte do regime de Isaias Afewerki, que governa há 25 anos.

Os deslocados internacionais ficarão poucos dias em Rocca di Papa, já que serão distribuídos por várias dioceses da Itália. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA