Salvini e Le Pen se unem por 'revolução' na UE

Os líderes nacionalistas se encontraram em um congresso em Roma

Salvini e Le Pen se unem por 'revolução' na UE
Salvini e Le Pen se unem por 'revolução' na UE (foto: ANSA)
13:42, 08 OutROMA ZLR

(ANSA) - O ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini, e a líder do partido ultranacionalista francês Reunião Nacional, Marine Le Pen, uniram forças nesta segunda-feira (8), em Roma, para iniciar uma "revolução" nas próximas eleições europeias, em maio.

Em um congresso da União Geral do Trabalho sobre "crescimento econômico e perspectivas sociais em uma Europa das nações", os dois políticos lançaram uma campanha para as eleições europeias, através do movimento "Frente da Liberdade", que busca propor candidatos nacionalistas para o Parlamento da UE.

"Compartilho com Le Pen valores, princípios, consistência e orgulho. No fim de maio teremos a revolução do bom senso", disse Salvini.

O ministro afirmou que as eleições vão decretar "o final de um percurso, de uma revolução que está percorrendo a Europa". Le Pen, por sua vez, disse que um "momento histórico" está se aproximando, principalmente com a chegada de uma "Europa diferente".

"Eu acho que essa 'Frente da Liberdade' vai trabalhar para ter um projeto comum, uma ideia comum do futuro e, se possível, também candidatos comuns, mas deixando a liberdade para países, povos e governos", opinou Le Pen.

A campanha de Salvini e Le Pen já possui seus "inimigos", liderados pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e pelo comissário europeu para Assuntos Econômicos, Pierre Moscovici.

"Somos contra os inimigos da Europa, que são Juncker e Moscovici, fechados no bunker de Bruxelas", declarou Salvini. O italiano ainda acrescentou que pensa uma Europa que "invista no trabalho e na felicidade". "Não lutamos contra a Europa, mas contra uma União Europeia que se tornou um sistema totalitário.

A UE foi construída em cima de muitas promessas, mas com poucas concretizações e resultados", reforçou Le Pen.

Salvini vem protagonizando diversas polêmicas com Juncker e Moscovici, principalmente após os dois terem feito críticas ao projeto de orçamento da Itália, que prevê um aumento do déficit fiscal.

Sem citar nomes, Juncker afirmou nesta segunda que é preciso "obstruir essa marcha rumo a uma não-Europa", que é "inspirada por populistas estúpidos e nacionalistas limitados".

O presidente da Comissão Europeia ainda declarou que é necessário "dizer não" a todos os movimentos populistas.

Essa não é a primeira vez que Salvini se reúne com expoentes da extrema direita na Europa. Anteriormente, o líder do partido Liga se encontrou com o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, e o vice-premier austríaco, Heinz-Christian Strache.
    (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA