Bolsonaro gera preocupação em setor leiteiro italiano

Entidade teme que o presidente eleito ignore acordo Mercosul-UE

Jair Bolsonaro não deve ter Mercosul como prioridade
Jair Bolsonaro não deve ter Mercosul como prioridade (foto: EPA)
15:23, 04 NovROMA ZLR

(ANSA) - A declaração do futuro "superministro" de Economia Paulo Guedes de que o Mercosul não será uma prioridade do governo de Jair Bolsonaro levantou preocupações no setor leiteiro na Itália.

Segundo comunicado divulgado nesta sexta-feira (2) pela Associação Italiana de Laticínios (Assolatte), as exportações para o Brasil podem ser prejudicadas por um eventual fracasso nas negociações para um acordo comercial entre Mercosul e União Europeia.

"A assinatura do tratado representa uma oportunidade imperdível para o mercado dos queijos italianos nesta importante região do continente americano e é necessária pare relançar as relações comerciais com a América do Sul", diz a nota.

No início da semana, Guedes disse que o Mercosul é "restrito demais" para o que o governo Bolsonaro está pensando e foi feito de forma "totalmente ideológica". Além disso, afirmou que o bloco não será prioridade da política econômica brasileira.

Nos primeiros 10 meses de 2018, a exportação de queijos italianos para o Brasil cresceu 16%, o que torna o país o principal destino de laticínios "made in Italy" na América do Sul. No ano passado, a Itália vendeu 521,8 mil queijos ao mercado brasileiro, principalmente Grana Padano e Parmigiano Reggiano, que representam metade desse volume. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA