Governo da Itália anuncia medidas para incentivar natalidade

O país já paga uma bolsa mensal para cada bebê nascido

Berçário de maternidade na Itália, que convive com taxas de natalidade decrescentes
Berçário de maternidade na Itália, que convive com taxas de natalidade decrescentes (foto: ANSA)
15:14, 16 NovROMA ZLR

(ANSA) - O governo da Itália anunciou uma série de medidas para incentivar a natalidade no país e tentar reverter a tendência de queda na taxa de nascimentos registrada nos últimos anos.

A principal delas é a renovação do "bônus bebê", ajuda mensal de 80 ou 160 euros, dependendo da renda familiar, para cada bebê recém-nascido ou recém-adotado em solo italiano. Além disso, o governo quer aumentar o benefício, que é pago durante um ano, em 20% a partir do segundo filho.

As propostas são do ministro da Família da Itália, Lorenzo Fontana, da ultranacionalista Liga, e estão em emendas apresentadas à Lei Orçamentária de 2019 na Câmara dos Deputados. O governo ainda pretende distribuir vouchers para babás. As duas medidas devem custar 500 milhões de euros.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (Istat), a taxa de natalidade bateu recorde negativo na Itália em 2017, com 464 mil bebês nascidos, número 2% menor que em 2016, quando o indicador já havia atingido seu mínimo histórico. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA