Prisão de Battisti na Itália nunca registrou fuga

Italiano foi levado para penitenciária na ilha da Sardenha

Entrada da penitenciária Salvatore Soro, na ilha da Sardenha
Entrada da penitenciária Salvatore Soro, na ilha da Sardenha (foto: ANSA)
20:40, 15 JanSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - A penitenciária Salvatore Soro, nova casa de Cesare Battisti, é tida como uma das mais seguras da Itália.

Situada a quatro quilômetros de Oristano, na ilha da Sardenha, a cadeia foi inaugurada em 2012 e até hoje nunca registrou uma fuga. Formada por blocos de edifícios de no máximo quatro andares, abriga cerca de 260 detentos, divididos em celas com ao menos três metros quadrados para cada um, televisão, banheiro interno, mas em ambiente separado, e aquecimento.

O cárcere de segurança máxima conta com um teatro, usado "pouquíssimo", segundo o jornal Corriere della Sera, uma capela, um campo de futebol e espaços onde os presos podem frequentar cursos de ensino médio.

A segurança é feita por cerca de 150 agentes, que em 2017 tiveram de lidar com duas greves de fome dos detentos por causa da superlotação. A maior parte dos presos responde por crimes comuns, mas também há condenados por envolvimento com o terrorismo islâmico e cerca de 60 que cumprem pena perpétua, como Battisti.

Aproximadamente 85% estão submetidos a regime de "alta segurança", mas nenhum deles está no "41 bis", o isolamento total normalmente reservado a líderes mafiosos. Battisti cumpre prisão perpétua por quatro assassinatos cometidos na década de 1970 e ligação com o terrorismo. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA