Carla Bruni nega ter protegido Cesare Battisti na França

Ex-guerrilheiro viveu no país europeu após fugir da Itália

Carla Bruni nega ter protegido Cesare Battisti na França (foto: ANSA)
11:11, 16 JanROMA ZCC

(ANSA) - Após rumores de que a cantora italiana Carla Bruni havia protegido Cesare Battisti na França durante o governo de Nicolas Sarkozy (2007-2012), a esposa do ex-presidente negou conhecer e ter defendido o italiano.
   

"Eu agradeço por me dar a oportunidade de pôr fim às mentiras sobre o relacionamento imaginário, ou melhor contato que teria acontecido entre Cesare Battisti e eu", disse a franco-italiana em entrevista ao jornal italiano "La Stampa".

Nos últimos dias, Bruni foi criticada pela imprensa por ficar em silêncio depois que o italiano foi preso na Bolívia no último sábado (12). Além disso, ela foi acusada de ter ligado para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvia, em 2012, para pedir proteção a Battisti, enquanto Sarkozy o protegia em seu país.
   

"Meu marido não protegeu o Battisti durante seus anos como presidente, não sei por qual motivo essa mentira foi inventada", reforçou.
   

O ex-guerrilheiro do grupo de extrema-esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) foi condenado na Itália à prisão perpétua por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, mas fugiu do país e passou anos vivendo na França, antes de partir para México e Brasil.

Na entrevista, a cantora ressaltou que nunca conheceu Battisti e que "é uma calúnia grave argumentar que ela lutou para evitar sua extradição da França para a Itália".
   

"Eu gostaria que houvesse silêncio, silêncio e não mentiras, não fofocas, a fim de respeitar a dor que nunca cessou, e nestes dias eu vivo mais do que nunca, os familiares das vítimas", finalizou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA