Salvini ameaça renunciar se governo não cortar impostos

Ministro propôs desoneração fiscal de 30 bilhões de euros

Matteo Salvini colocou seu aliado de governo, o M5S, contra a parede
Matteo Salvini colocou seu aliado de governo, o M5S, contra a parede (foto: ANSA)
13:40, 21 JunROMA ZLR

(ANSA) - O ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini, ameaçou sair do governo se não for aprovado um amplo projeto de redução de impostos.

Segundo o jornal Corriere della Sera, Salvini voltou de uma viagem aos Estados Unidos, no início da semana, com a convicção de que a Itália precisa de uma reforma fiscal "corajosa". "Então é meu dever fazê-la. Se não conseguir fazer, me despeço e vou embora", declarou.

Fortalecido por sua vitória nas eleições europeias, o ministro tenta impor a seu aliado de governo, o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), uma desoneração de 30 bilhões de euros no imposto de renda para pessoas físicas e jurídicas.

A redução se daria por meio da chamada "flat tax", que criaria uma alíquota única para os contribuintes, independentemente da faixa de renda. O M5S, no entanto, teme que o projeto beneficie os mais ricos e prejudique o partido com seu eleitorado mais fiel, no sul do país.

Além disso, a Itália já deve fechar 2019 com um rombo fiscal de mais de 40 bilhões de euros, o que pressionará sua dívida pública (a segunda maior da zona do euro) e deixa pouco espaço para desonerações.

Salvini, por sua vez, alega que a "flat tax" será o motor da retomada econômica, que compensará a perda de arrecadação. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA