Colinas do Prosecco recebem título de Patrimônio da Unesco

Decisão foi tomada durante comitê oficial em Baku, no Azerbaijão

Colinas do Prosecco recebem título de Patrimônio da Unesco
Colinas do Prosecco recebem título de Patrimônio da Unesco (foto: Ansa)
12:07, 07 JulROMA ZCC

(ANSA) - As colinas produtoras de Prosecco, o vinho italiano mais consumido no mundo, receberam neste domingo (7) o título de Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco, informou o ministro das Relações Exteriores da Itália, Enzo Moavero Milanesi.
    A decisão foi tomada em Baku, no Azerbaijão, por ocasião da 43ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco. A indicação italiana foi aprovada por unanimidade, garantindo o voto dos 21 Estados membros.
    "As colinas de Prosecco de Conegliano e Valdobbiadene são agora Patrimônio Mundial da Unesco. Graças à sua beleza única, cultural, agrícola e ao grande trabalho de promoção do sistema nacional", escreveu Moavero no Twitter.
    A Itália postulou a zona produtora do espumante em janeiro de 2017 e esperava seu reconhecimento como Patrimônio Mundial da Humanidade na reunião de julho de 2018, mas a candidatura acabou recebendo apenas 12 votos a favor, sendo que o tombamento exige pelo menos 14.
    As Colinas do Prosecco ficam na região do Vêneto, nordeste da Itália, mais precisamente entre as cidades de Conegliano e Valdobbiadene. Essa área engloba uma superfície de cerca de 9,1 mil hectares.
    Ao longo do último ano, técnicos do Vêneto conduziram novas pesquisas bibliográficas e de arquivo, principalmente sobre o aspecto de "mosaico" dos vinhedos e sobre o método de cultivo das videiras.
    Em nota, o governador do Vêneto, Luca Zaia, comemorou o resultado e afirmou que o reconhecimento é prova da posição de liderança que a Itália demonstra na Unesco e o excelente trabalho de equipe do sistema nacional, que envolveu os ministérios das Relações Exteriores, da Defesa, de Políticas Agrícolas, a região de Vêneto e o comitê promotor de candidaturas.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA