Calor extremo deixa Itália em alerta vermelho

Outros países da Europa também estão em atenção máxima

Calor extremo deixa Itália em alerta vermelho (foto: ANSA)
10:13, 24 JulROMA ZCC

(ANSA) - O Ministério da Saúde da Itália emitiu um alerta vermelho em pelo menos 13 cidades italianas devido à extrema onda de calor que tem atingido a nação e diversos outros países da Europa.

A expectativa é de que nesta quarta-feira (24) as temperaturas mais altas sejam registradas em Bolzano, Brescia, Florença, Perugia e Turim. Acredita-se que os termômetros marcarão mais de 40ºC durante o período da tarde. A ilha da Sardenha também está em estado de alerta.

Segundo os meteorologistas, o calor tórrido retornou à maioria das cidades italianas graças a passagem de um anticiclone subtropical.

Amanhã (25), a massa de ar quente afetará Bolonha, Frosinone, Gênova, Pescara, Rieti, Roma, Trieste e Verona. Já em Palermo e na Reggio Calabria não há riscos iminentes.

As temperaturas devem diminuir a partir da próxima sexta-feira (26) em toda a Europa. Na Itália, por sua vez, diversas regiões serão atingidas por tempestades. A onda de mau tempo passará pela região centro-norte do país e se estenderá pelos Alpes. Além disso, chuvas de granizo podem afetar a Toscana, Florença, Roma, Úmbria e as regiões do Adriático.

França -

Ontem (23), em uma nova onda de calor, diversas cidades francesas voltaram a registrar recordes de temperaturas, ultrapassando os 40º C. Ao todo, pelo menos 80 regiões entraram em estado de alerta.

De acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia, em Brive-la-Gaillarde, no sudoeste do país, a temperatura chegou a 41,3°C, enquanto que em Bordeaux, no leste, marcou 41,2°C, um recorde histórico.

Nesta quarta-feira (24), boa parte da França já está em alerta laranja, o segundo nível mais alto de emergência. Em Paris, as temperaturas podem atingir mais de 40ºC. Até hoje, o recorde estabelecido de 40,4º C foi registrado em 1947.

Meteorologistas também preveem um recorde de calor em outros países da Europa, como Reino Unido, Bélgica, Alemanha e Holanda.

Segundo a Organização das Nações Unidos (ONU), as ondas de calor têm "a marca registrada da mudança climática".

Em agosto de 2013, a França foi atingida por uma intensa onda de calor, que provocou a morte de quase 15 mil pessoas. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA