Relembre os principais acontecimentos no governo da Liga-M5S

Aliança ficou firme no poder na Itália durante 14 meses

Relembre os principais acontecimentos no governo da Liga-M5S
Relembre os principais acontecimentos no governo da Liga-M5S (foto: ANSA)
14:17, 09 AgoROMA ZBF

(ANSA) - Foram necessários 88 dias de negociações para que a Liga Norte e o Movimento 5 Estrelas (M5S), os partidos mais votados nas eleições legislativa de 4 de março de 2018 na Itália, chegassem a um acordo para a formação de um governo.
   

A aliança entre os dois partidos de posições políticas divergentes só foi possível graças a um "contrato" assinado em 18 de maio entre os expoentes Matteo Salvini e Luigi Di Maio, documento que previa as principais propostas e pontos pragmáticos de cada legenda. Como primeiro-ministro, foi indicado um nome neutro, do jurista Giuseppe Conte.

Seu gabinete executivo tomou posse em 1 de junho, com Salvini no Ministério do Interior, Di Maio na pasta de Desenvolvimento Econômico, e ambos com o título de vice-primeiro-ministro. Salvini, com seu uso constante das redes sociais e declarações polêmicas, logo puxou os holofotes para si.

Em vários momentos, assumiu quase a postura de "premier de facto", reunindo-se com autoridades internacionais e personalidades de outros países, e convocando reuniões sobre temas que extrapolavam suas funções no Ministério do Interior.

O casamento entre a Liga e o M5S, porém, parece ter chegado ao fim na última quarta-feira (7), em uma sessão no Senado na qual o partido de Di Maio tentou barrar o projeto do trem de alta velocidade (TAV), apoiado por Salvini.

Os 14 meses de governo foram marcados por temas como a restrição à imigração, o projeto da renda de cidadania e o confronto com a União Europeia (UE).

1) Batalha com Bruxelas: O governo da Liga-M5S travou uma batalha com a União Europeia por, principalmente, dois motivos: a interferência de Bruxelas na política de cada país-membro do bloco e as atuais legislações orçamentárias. Como a Itália tem a segunda maior endividamento público da UE, perdendo somente para a Grécia, o país é pressionado para ajustar seu balanço.

2) Imigração: Um dos temas prioritários de Salvini, o governo da Liga-M5S adotou uma série de medidas restritivas contra imigrantes. O ministro do Interior fechou os portos, impediu o desembarque de navios de ONGs e aprovou duas leis, chamadas de "decreto de segurança" e "decreto de segurança bis", com multas e punições a transgressores.

3) Renda de Cidadania: Em março de 2019, entrou em vigor na Itália a chamada "renda de cidadania", projeto que concede um subsídio mensal para 1,3 milhão de famílias italianas com renda familiar inferior a 12,6 mil euros por ano, ou 6 mil euros no caso de solteiros. O valor do benefício vai de 500 euros a 1.050 euros.   

4) Trem de alta velocidade (TAV): Apesar do projeto já existir há 30 anos, o TAV foi um dos principais motivos de embate entre a Liga e o M5 e o estopim para a crise no governo. A Liga sempre foi favorável à conclusão da construção do trem que ligaria Turim a Lyon, na França, mas o M5S se posicionava de maneira contrária, alegando impactos ambientais da obra. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA