Política externa da Itália irá priorizar crise migratória

Tema foi citado por Luigi Di Maio em sua carta à Farnesina

Política externa da Itália irá priorizar crise migratória (foto: ANSA)
17:05, 05 SetROMA ZCC

(ANSA) - Em sua mensagem de saudação à diplomacia italiana no dia de sua posse, o novo ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, afirmou que um dos principais pontos de atuação do novo governo no campo internacional será a crise migratória.

"A questão dos migrantes será uma das prioridades da política externa do novo governo. Pretendemos trabalhar para uma maior responsabilidade da Europa e para que o regulamento de Dublin seja superado", escreveu o líder do Movimento 5 Estrelas (M5S), que se uniu ao Partido Democrático (PD) para governar a Itália.

Pelo Regulamento de Dublin, um solicitante de refúgio na União Europeia deve ficar sob responsabilidade do país de entrada no bloco, tarefa que recai sobretudo nas nações do Mediterrâneo, como Grécia, Espanha, Itália e Malta.

A UE chegou até a criar um mecanismo voluntário de redistribuição, mas o sistema foi boicotado pelos países do leste europeu. Além disso, o governo italiano votou contra uma proposta de reforma do Regulamento de Dublin, em junho de 2018. O projeto previa um mecanismo permanente de redistribuição.

A postura indicada por Di Maio para este novo governo de coalizão vai contra a adotada pelo anterior, liderado pelo então ministro do Interior e vice-premier, Matteo Salvini, que ganhou popularidade, principalmente, por endurecer a política contra imigrantes e por fechar os portos do país.

UE, OTAN e África -

No documento, obtido pela ANSA, o agora chanceler italiano também garante sua lealdade à União Europeia e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), mas afirma que dialogará com todos. "A política externa será um componente essencial da ação deste governo" e "terá como prioridade o interesse nacional na Europa e no mundo".

Di Maio também abordou a situação na África e disse que ela "não pode mais ser vista apenas como um motivo de preocupação, mas como uma oportunidade para identificar novos parceiros estratégicos para aumentar o desenvolvimento e o crescimento da Itália.

O líder do M5S ressalta que seu objetivo é manter "um diálogo franco e aberto com nossos parceiros, sem, é claro, renunciar aos valores europeus e atlânticos que caracterizam a história do país".

"Investimos em mercados emergentes, inovação tecnológica e pesquisa científica são importantes fatores para a internacionalização de todo o Sistema Nacional, para alimentar a dinâmica do crescimento sustentável e a atenção ao equilíbrio climático e ambiental, para desencadear círculos virtuosos de crescimento e desenvolvimento em benefício de gerações futuras", finalizou na carta. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA