Filho do fundador do M5S é suspeito de estupro na Itália

Modelo acusou Ciro Grillo e mais três homens de abuso

Filho do fundador do M5S é suspeito de estupro na Itália
Filho do fundador do M5S é suspeito de estupro na Itália (foto: Reprodução / Instagram)
16:06, 06 SetROMA ZCC

(ANSA) - O filho do ex-comediante e fundador do Movimento 5 Estrelas (M5S) Beppe Grillo, Ciro, de 19 anos, foi acusado de estuprar uma modelo, junto com outros três jovens genoveses, em um apartamento na Costa Esmeralda, na Sardenha.

A denúncia foi revelada nesta sexta-feira (6) no jornal italiano "Corriere della Sera" e não deixa claro se a agressão sexual ocorreu no imóvel que o político italiano tem, há décadas, em Piccolo Pevero.

De origem escandinava, a mulher, de 19 anos, alegou à polícia que foi estuprada pelo grupo no dia 16 de julho, data em que Ciro estava de férias com seus amigos Francesco Consiglia, Vittorio Lauria e Edoardo Capitta, segundo a publicação.

O jornal revela que a modelo apresentou um relatório médico alegando a violência sexual e alterações em seu estado psicofísico. A queixa, porém, só foi registrada cerca de 10 dias depois do caso.

As autoridades abriram uma investigação por violência sexual e já interrogaram todos os suspeitos. Os quatro jovens alegam que a relação sexual foi consentida.

A polícia ainda analisa um vídeo gravado em um dos telefones celulares, o qual comprova que houve relações sexuais, mas provoca dupla interpretação.

"É óbvio, foi violência", dizem os advogados da modelo, cuja identidade não foi revelada.

Já a defesa dos quatro jovens insistem que "as sequências [de imagens] são claras. Não houve estupro, mas consenso total".

Ciro é filho de Beppe Grillo, responsável por fundar, em 2009, o M5S, partido italiano que recebeu mais de 32% dos votos nas eleições legislativas de março de 2018. A legenda governava o país junto com a Liga Norte, de Matteo Salvini, desde junho de 2018, mas após uma ruptura assumiu o poder com o Partido Democrático (PD). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA